Outros Tratamentos

Fluticasona

Tratamento para asma e rinite

A Fluticasona é um ingrediente ativo presente em diversos medicamentos, sendo indicado para o tratamento de sintomas nasais, como a rinorreia, a congestão, o prurido e espirros, além de sintomas oculares como prurido, ardência e coceira, lacrimejamento e vermelhidão, e rinite alérgica sazonal, aquela que acontece em determinadas épocas do ano.

Além disso, os medicamentos contendo Fluticasona atendem pacientes portadores de rinite alérgica crônica, que ocorre durante o ano todo, independentemente das estações.

O que é Fluticasona?

A Fluticasona, em suas diferentes variações, é uma substância que apresenta potente ação anti-inflamatória, agindo contra a inflamação dos pulmões. Sua ação resulta na redução dos sintomas e das crises de rinite ou de asma, aumentando a função pulmonar. Os benefícios provenientes do uso do medicamento proporcional  significativa melhora na qualidade de vida dos portadores de rinite e de asma.

No tratamento contra a asma, o paciente pode perceber os resultados da Fluticasona em quatro a sete dias depois do início do tratamento. Se o paciente nunca utilizou corticoides inalatórios, é bem possível que percebe os primeiros benefícios logo nas primeiras 24 horas.

Conheça as estruturas químicas da Fluticasona:

estrutura-quimica-fluticasona

Fluticasona para rinite (Avamys)

O Avamys, um dos medicamentos contendo Fluticasona, pode ser encontrado em spray nasal, contendo 120 doses com 27,5 microgramas de furoato de Fluticasona. O tratamento com Avamys é mais indicado para casos de rinite.

Fluticasona para asma (Flixotide Spray)

Para o tratamento de asma, o medicamento contendo Fluticasona mais indicado é o Flixotide Spray, que pode ser encontrado nas farmácias em frascos contendo 250 mcg, com 60 doses do medicamento.

Fluticasona: composição para asma e rinite

O remédio com Flucoticasona para o tratamento da rinite alérgica é normalmente, feita à base do furoato de Fluticasona com os seguintes excipientes: glicose anidra, celulose dispersível, polissorbato 80, solução de cloreto de benzalcônio, edetato dissódico e água purificada.

O Avamys, um dos medicamentos contendo o ingrediente ativo Fluticasona é comercializado em spray nasal contendo 120 doses de 27,5 microgramas. Cada pulverização oferece essa quantidade do princípio ativo, o que, segundo os estudos clínicos, é suficiente para amenizar os sintomas apresentados pelo paciente.

Avamys (Fluticasona)
  • Alivia sintomas como corrimento nasal
  • Reduz a inflamação e desconforto dos seios nasais
  • Administração por pulverizador nasal
Continuar

Para o tratamento da asma, a Flucoticasona pode ser encontrada tanto na forma de propionato de fluticasona (Flixotide) ou na combinação de furoato de fluticasona e trifenatato de vilanterol (Relvar Ellipta).

Cada dose de Flixotide contém 50 ou 250 mcg  de propionato de fluticasona e norflurano (propelente HFA 134A) q.s.p..

Flixotide (Fluticasona)
  • Propriedades anti-inflamatórias
  • Uso diário reduz o risco de ataques de asma
  • Doses de 50mcg a 250mcg
Continuar

Já o Relvar Ellipta contém 100 mcg ou 200 mcg furoato de fluticasona com 40 mcg trifenatato de vilanterol (equivalente a 25 mcg de vilanterol) e os seguintes excipientes: lactose monoidratada, estearato de magnésio q.s.p..

Fluticasona genérica e nomes comerciais

A Fluticasona pode ser encontrada sob os seguintes nomes comerciais:

  • Avamys em spray;
  • Dymista, suspensão em spray;
  • Flixonase, em suspensão;
  • Flixotide, em aerossol;
  • Flixotide, em ampola;
  • Flixotide, em pó;
  • Flutican, em suspensão;
  • Fluticaps, em cápsulas;
  • Flutivate, em creme;
  • Flutivate, em pomada;
  • Plurair, em spray;
  • Seretide, em pó;
  • Seretide Diskus, em pó;
  • Seretide Spray, em aerossol;
  • Seretide Spray, em suspensão.

Para que serve Fluticasona?

A Fluticasona exerce atividade anti-inflamatória potente nos pulmões, reduzindo os sintomas e as exacerbações de asma e rinite em pacientes previamente tratados com broncodilatadores isolados ou com outra terapia profilática.

Os casos de asma mais graves precisam de constante avaliação médica, uma vez que podem resultar em óbito. Pacientes com esse tipo de problema sempre apresentam sintomas e exacerbações frequentes, além de capacidade física limita e pico de fluxo expiratório inferior a 60% do calculado na fase basal, apresentando uma variação para menor e não conseguindo retornar totalmente a condições normais, após o uso de broncodilatadores.

Pacientes com esses sintomas precisam inalar altas doses de medicamentos ou de tratamento com corticosteroides orais, situação que pode ser tratada de forma conveniente pela Fluticasona.

Como usar a Fluticasona?

Para o tratamento de rinite e asma, a Fluticasona deve ser administrada somente por via oral.

No caso de spray nasal, o medicamento normalmente é fornecido em um frasco de vidro, dentro de um estojo plástico. Uma abertura na lateral do estojo permite observar a quantidade do medicamento restante.

Ao pressionar o botão lateral com firmeza, um jato do medicamento é liberado através do bico do frasco. O dispositivo deve ser preparado antes da primeira utilização ou no caso de ficar destampado e parecer não funcionar direito.

Veja na tabela abaixo informações de uso da Flucatisona:

Como usar a Flucatisona para rinite e asma
Fluticasona spray nasal (Avamys)
avamys spray
  • No caso de Avamys, o bico do frasco é protegido por uma tampa removível. Na primeira vez que o paciente fizer uso do produto, deve prepará-lo de forma correta, agitando vigorosamente o spray tampado por cerca de 10 segundos.
  • Para remover a tampa, de cor azul, é preciso apertar delicadamente suas laterais e puxar para fora. Em seguida, é preciso virar o bocal na direção oposta ao paciente, pressionando firmemente o botão da lateral, cerca de 6 vezes, até que seja liberado um jato fino, estando, dessa forma, o spray nasal pronto para uso.
  • Antes de usar o spray nasal o paciente deve assoar o nariz e limpar as narinas, inclinando em seguida a cabeça para frente, segurando o spray na posição vertical e colocando o bico pulverizador em cada uma das narinas.
  • Encostar o bico pulverizador na parede da narina oposta à divisão central do nariz possibilita dirigir o medicamento para as partes corretas. Em seguida, basta respirar pelo nariz e pressionar o botão apenas uma vez até o fim.
  • O paciente deve tomar cuidado para que o jato não atinja os olhos. Se isso ocorrer, é preciso lavá-los com água em abundância.
  • No caso de o médico prescrever dois jatos para cada narina, é preciso repetir os passos anteriores, fazendo o mesmo com a outra narina.
  • Depois de cada uso, é preciso limpar o bico pulverizador e a parte interna da tampa. Não se deve usar água e sim um pano seco e limpo, recolocando a tampa no lugar para evitar a entrada de poeira, conservar a pressão e impedir que o bico pulverizador fique entupido.
  • Não se deve usar alfinetes ou objetos pontiagudos para tentar desobstruir ou aumentar o orifício do bico pulverizador, nem para limpá-lo. Se o paciente achar que o dispositivo não está funcionando corretamente, deve verificar se ainda tem medicamento, conferindo o nível do líquido através da janelinha. Se estiver muito baixo, pode não haver medicamento suficiente para que o dispositivo funcione. Além disso, pode-se verificar se o dispositivo não apresenta qualquer dano.
  • O Avamys é indicado apenas para a administração via nasal. Para melhor benefício terapêutico, o paciente deve fazer o uso do medicamento de acordo com a prescrição médica. Nos estudos clínicos, observou-se o início da ação do princípio ativo 8 horas após a primeira administração.
  • Contudo, podem ser necessários alguns dias de tratamento para que o paciente consiga os benefícios máximos. Por isso, o médico deve explicar ao paciente a ausência de efeito imediato.
Fluticasona inalatória (Flixotide Spray)
flixotaide
  • Da mesma forma que o Avamys, o Flixotide Spray precisa ser testado antes de ser usado pela primeira vez ou no caso de o paciente não o utilizar por uma semana ou mais. Para o teste, é preciso remover o protetor do bocal, apertando delicadamente suas alterais, agitando o recipiente e liberando um jato de ar.
  • Para fazer uso do medicamento, é preciso remover a tampa do bocal, verificando se há partículas estranhas no interior e no exterior, inclusive no bocal. Em seguida, o inalador deve ser agitando para garantir a remoção de qualquer partícula estranha e para misturar seu conteúdo de maneira uniforme.
  • O paciente deve segurar o inalador na posição vertical, mantendo o polegar na base, expirando o ar pela boca até expelir totalmente o ar dos pulmões. Em seguida, colocar o bocal do inalador entre os lábios e ajustando-o bem, sem mordê-lo.
  • Ao mesmo tempo em que inspira o ar pela boca, o paciente deve pressionar o inalador entre o indicador e o polegar, liberando o aerossol, inspirando regular e profundamente.
  • O paciente deve prender a respiração por tanto tempo quanto for confortável e, para liberar o segundo jato, no caso de prescrição médica, deve esperar cerca de 30 segundos.
  • O paciente não deve apressar a inalação. É importante que comece a inspirar o mais lentamente possível para garantir a eficácia do medicamento. No caso de o médico apresentar instruções diferentes, é preciso seguir cuidadosamente as instruções.

Fluticasona: Vantagens e Desvantagens?

A principal vantagem oferecida pela Fluticasona para pacientes com asma ou rinite é a melhora da qualidade de vida. Esse item, avaliado pelo Questionário de Qualidade de Vida Relativa à Rinoconjuntivite (RQLQ), melhorou significativamente em relação à avaliação inicial com Fluticasona em pacientes que passaram pelo tratamento.

As principais desvantagens são os efeitos colaterais que, embora podendo ser acentuados, não atingem todos os pacientes, limitando-se a poucos casos e não oferecendo maiores riscos.

Segurança e eficácia da Fluticasona com base em estudos clínicos

Um estudo randomizado com a participação de 395 pacientes analisou e comparou a eficácia da Fluticasona com relação à Budesonida na melhora da função pulmonar e de suas exacerbações.

A Fluticasona mostrou-se superior à Budesonida no que se refere ao percentual de dias livres de sintomas, gravidade das exacerbações, utilização de medicação de resgate e melhora das funções pulmonares.

A duração das exacerbações mostrou-se menor no grupo tratado com Fluticasona quando comparado ao grupo tratado com Budesonida. A Fluticasona apresentou-se mais efetiva do que a Budesonida, com melhor clínica significativa da função pulmonar e redução do escore dos sintomas diurnos da asma em pacientes com asma grave.

Os estudos clínicos também demonstraram uma redução significativa ao longo do tempo, com melhoria da função pulmonar, independentemente da idade do paciente, de seu gênero, da função pulmonar, do tabagismo ou atopia.

Em pacientes com rinite alérgica sazonal, adultos ou adolescentes, uma dose de Fluticasona de 110 mcg uma vez ao dia demonstrou melhoria significativa em comparação com placebo, das pontuações totais de sintomas nasais, como rinorreia, congestão nasal, espirros e prurido, e das pontuações totais de sintomas oculares, como lacrimejamento e vermelhidão, comparados ao placebo.

Os sintomas subjetivos demonstraram melhora que se manteve ao longo de todo o período de 24 horas decorrido depois da administração de uma dose diária.

Em pacientes com rinite alérgica perene, adultos ou adolescentes, a Fluticasona também resultou em melhora significativa diária. A melhora dos sintomas nasais também se manteve ao longo de todo o período de 24 horas depois da administração de uma dose diária.

Outro estudo de dois anos destinado a avaliar a segurança ocular da Fluticasona Spray intranasal, em adultos e adolescentes com rinite alérgica perene, demonstrou que os resultados primários foram significativos para a melhoria dos sintomas.

Quais os efeitos colaterais da Fluticasona?

Os estudos clínicos também serviram para determinar a frequência dos efeitos colaterais da Fluticasona. A seguinte convenção foi utilizada para classificar essa frequência:

  • Efeitos colaterais muito comuns, ocorrendo em menos de um em cada 10 pacientes;
  • Efeitos colaterais comuns, ocorrendo entre mais de um entre 10 e menos de 1 entre 100 pacientes;
  • Efeitos colaterais incomuns, ocorrendo em mais de 1 entre 100 e menos de 1 entre 1.000 pacientes;
  • Efeitos colaterais raros, ocorrendo em mais de 1 entre 1.000 e menos de 1 entre 10.000 pacientes;
  • Efeitos colaterais muito raros, ocorrendo em mais de 1 entre cada 10 mil pacientes.

Confira na tabela abaixo os possíveis efeitos colaterais da Flucatisona:

Efeitos colaterais da Flucatisona
Efeitos colaterais muito comuns:
  • Epistaxe, ou hemorragia nasal: entre adultos e adolescentes, a ocorrência desse efeito colateral foi mais alta no uso de longa duração, acima de seis semanas, do que no uso de curta duração, de até 6 semanas. Entre pacientes pediátricos, com até 12 semanas de tratamento, a incidência de epistaxe foi similar entre Avamys Spray nasal e placebo.
Efeitos colaterais comuns
  • Ulceração nasal;
  • Em pacientes pediátricos, pode causar retardo do crescimento.
Efeitos colaterais comuns pós-comercialização
  • Cefaleia (dor de cabeça).
Efeitos colaterais incomuns
  • Rinalgia (desconforto nasal, incluindo queimação, irritação, ulceração nasal e ressecamento).
Efeitos colaterais raros
  • Manifestações de hipersensibilidade, incluindo anafilaxia, angioedema, rash e urticária.
Efeitos colaterais muito raros
  • Perfuração do septo nasal.
Efeitos colaterais de frequência desconhecida
  • Infecção por Candida albicans, dificuldades de cicatrização, catarata, glaucoma, imunodepressão, dor faringolaríngea, dor nas costas, nasofaringite, pirexia e tosse.

Quais as indicações e contraindicações da Fluticasona?

A Fluticasona é contraindicada para pacientes com alergia ao ingrediente ativo ou a qualquer dos ingredientes do medicamento, não sendo também indicado para crianças menores de 2 anos.

A Fluticasona deve ser administrada somente através de prescrição médica, seja por via nasal ou oral, servindo para o tratamento de rinite alérgica sazonal e perene e para asma.

Interações medicamentosas

Em um estudo sobre interação medicamentosa da Fluticasona e do Cetoconazol, um potente inibidor da CYP3A4, houve mais pacientes com concentrações plasmáticas de Fluticasona no grupo do Cetoconazol em comparação com placebo. Esse pequeno aumento da exposição, no entanto, não resultou em diferença estatisticamente significativa dos níveis séricos de cortisol entre os dois grupos durante 24 horas.

Os dados disponíveis sobre indução e inibição de enzimas indicam não haver base para prever, com doses intranasais, interações metabólicas clinicamente relevantes entre a Fluticasona e o metabolismo mediado pelo citocromo P450 E OUTROS COMPOSTOS.

Precauções para uso da Fluticasona

Com base em dados obtidos em pesquisas sobre outros glicocorticoides metabolizados pela CYP3A4, não se recomenda a coadministração do medicamento com Ritonavir, devido ao risco potencial de aumento da exposição sistêmica à Fluticasona.

Efeitos sistêmicos com corticosteroides nasais foram relatados, principalmente em doses elevadas prescritas por períodos mais prolongados. Esses efeitos são menos prováveis com corticosteroides nasais do que com corticosteroides orais e podem variar em cada paciente e entre diferentes formulações de corticosteroides.

Fontes:

Como Funciona
Escolha o Medicamento
Preencha o Formulário Médico
O médico emite a sua prescrição
Medicamento é enviado da farmácia
Entrega gratuita
Feedback

Seu feedback

Como você classificaria o nosso site?