Blog da euroClinix sobre sáude    Todos empenhados pela sua sáude

O que é a DPOC?

Postado a: Saúde Geral 25 Jun, 2015

A DPOC, diminutivo de doença pulmonar obstrutiva crónica, afeta cerca de 5,3% da população portuguesa.

Desenvolve-se gradualmente, sobretudo a partir dos 40 anos, e consiste no desenvolvimento de enfisema pulmonar e bronquite crónica, que em conjunto dificultam a respiração sobretudo em situação de esforço, ainda que ligeiro ou moderado.

  • Enfisema pulmonar

    O enfisema pulmonar consiste na destruição das paredes dos alvéolos, que se tornam maiores mas menos elásticos, e por isso comportam menos ar por cada inspiração. Mais tarde, o enfisema pulmonar pode ser observado pela fisionomia do doente, que apresenta um tórax especialmente projetado para a frente, também designado por "tórax em barril".

  • Bronquite crónica

    A bronquite crónica caracteriza-se pela inflamação e obstrução dos brônquios, provocadas pelo aumento da produção de muco e perda de função dos cílios que o conduzem à boca, para que seja eliminado na tosse.

Esta doença tem uma reversibilidade reduzida, ao contrário da asma, uma doença principalmente alérgica que pode ser contrariada com recurso a medicação.

Na DPOC ocorrem alterações que comprometem definitivamente a estrutura do sistema respiratório.

Fatores de Risco

O tabagismo é sem dúvida o maior fator de risco para o desenvolvimento da doença, sendo que 95% dos doentes são fumadores ou ex-fumadores.

A doença pode também ser provocada pela exposição prolongada e recorrente a fumo oriundo da queima de lenha.

Sintomas

Os sintomas aparecem de forma lenta e progressiva, e muitas vezes só são valorizados em fases já avançadas da doença.

A tosse é sem dúvida o mais comum e incomodativo, uma vez que é frequente, e pode mesmo arrastar-se por meses ou anos. A tosse intensa ao acordar deve-se essencialmente à produção de catarro durante a noite, e piora significativamente em caso de doença respiratória, como por exemplo a gripe.

O doente pode queixar-se igualmente de falta de ar, nos primeiros anos apenas em caso de esforço intenso ou de infeção respiratória. A falta de ar vai gradualmente afetando atividades cada vez menos exigentes do dia-a-dia, até que surge em atividades muito simples, como por exemplo a tomar banho.

Graus da doença e tratamento

A DPOC pode ser classificada em 5 graus, consoante as limitações do doente: risco, ligeiro, moderado, grave e muito grave.

Esta classificação dita a terapêutica e as alterações de estilo de vida que o doente deve fazer, de forma a não piorar.

Em qualquer dos casos deve ser imediatamente afastado o tabaco, e o doente passa a ser elegível para a toma da vacina da gripe.

No caso de o doente ter uma marcada insuficiência respiratória (DPOC muito grave), pode mesmo ser necessária a ventilação com recurso a oxigénio.

Insira o seu comentário
  • O seu nome:*
  • O seu email:
  • O seu comentário:*
Continue lendo
Descubra as categorias do Blog euroClinix
Discover more
Com a pandemia de gripe H1N1 no Brasil, afetando em maior proporção o... Continue lendo
O Brasil tem visto um salto repentino nos casos do vírus H1N1, popularmente... Continue lendo
Tamiflu, medicamento que combate o vírus influenza, também conhecido como... Continue lendo