Ingrediente activo Budesonida

A Budesonida é um ingrediente ativo utilizado no tratamento da asma e da doença pulmonar obstrutiva crónica. Adicioalmente, é utilizado na forma de spray nasal para o tratamento de rinite, alergias, sinusite ou também para a febre do feno. Budesonida também é prescrita no tratamento de doenças inflamatórias crónicas, como a doença de Crohn (inflamação do revestimento do sistema digestivo) e colite ulcerativa (inflamação do intestino grosso). Devido ao seu alto efeito de primeira passagem, também é usado como uma alternativa à prednisolona na terapia de hepatite auto-imune.

Trata-se de uma substância da classe dos glucocorticoides sintéticos ou corticosteroides que inibem os processos inflamatórios e alergénicos, e está presente em medicamentos como o Symbicort e o Pulmicort.

O que é e como foi descoberta a Budesonida?

O ingrediente ativo budesonida pertence à classe de corticosteróides, que são utilizados principalmente para a terapia de asma. Está atualmente listado como um medicamento essencial e básico para a saúde pela Organização Mundial de Saúde.

O desenvolvimento de budesonida remonta ao cortisol glucocorticóide. O nome químico do fármaco é 16a, 17 - [(RS) -Butan-1,1-diildiioxi] -11β, 21-di-hidroxipregna-1,4-dieno-3,20-diona; O nome latino é budesonidum.

Fórmula Química da Budesonida

O uso de cortisol foi documentado pela primeira vez em 1855 pelo cientista Thomas Addison, descrevendo o tratamento bem sucedido de uma deficiência hormonal com um extrato do córtex adrenal. Não foi até 1936 que os pesquisadores Kendall e Reichstein descobriram que o ingrediente ativo do extrato foi cortisol. No entanto, foi apenas durante a produção sintética de cortisol que os pesquisadores conseguiram otimizar as propriedades dos glicocorticóides, como a budesonida produzida laboratorialmente, através de mudanças estruturais.

Principais Propriedades e Modo de acção da Budesonida

Budesonida é um pó cristalino branco e glucocorticóide sintético (ou glucocorticóides) com propriedades melhoradas e optimizadas especificamente para o tratamento local de várias doenças. A manipulação dos glucocorticóides produzidos sinteticamente trazem uma melhoria no seu efeito sistémico sobre todo o organismo.

Como? A inserção de um chamado local de fratura ou quebra química alvo visa reduzir o efeito do fármaco após deixar o local de tratamento, resultando numa fraca biodisponibilidade sistémica. Quanto menor esta disponibilidade, mais reduzido é o efeito de uma droga sobre o organismo. As consequências são uma melhor tolerância por efeitos secundários mais leves ou inexistentes.

Propriedades e Mecanismos dos Corticosteróides

Mas não só esta característica contribui para a baixa biodisponibilidade e efeitos sistémicos, mas também o rápido efeito ou metabolismo de primeira passagem altamente pronunciado no fígado (degradação rápida dos fármacos pelo fígado assim que passam pelo mesmo pela primeira vez). Ao ser processada pelo fígado, a budesonida é dividida em cerca de 90% em elementos individuais ineficazes. Ou seja, apenas 10% da dose de inalação, permanece activa na circulação sanguínea por um período máximo de duas horas.

Como funciona a Budesonida?

Tal como outros glucocorticóides, a Budesonida atua ao nível intracelular ligando-se aos receptores de glucocorticóides presentes naturalmente nas células e servindo-se dos mesmos para entrar no núcleo das células onde o processo inflamatório foi previamente despoletado. O seu mecanismo de atuação nuclear consiste na libertação de proteínas, como a pré-albumina macro, que vão inibir os mediadores inflamatórios – substâncias responsáveis pela reação de inflamação.

Apesar desta inibição demorar algum tempo, o seu efeito é especialmente eficaz, devido à já mencionada quebra química alvo. Pode ser aplicada via oral em cápsulas, spray nasal ou por inalação em condições variadas desde asma a rinite alérgica.

Áreas de aplicação de Budesonida

Para que serve a budesonida? Devido à grande variedade de aplicações, existe alguma confusão e esta pergunta acaba sendo colocada por inúmeras pessoas.

A budesonida glucocorticóide é usado em vários processos inflamatórios e alérgicos do tracto respiratório ou digestivo, sob a forma de uma terapia única ou combinada. As aplicações mais comuns são os seguintes:

  • Asma brônquica
  • Doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC)
  • Reacções alérgicas das vias aéreas superiores como febre do feno ou rinite sazonal
  • Polipos nasais
  • Doenças inflamatórias crônicas do intestino como a doença de Crohn ou inflamação da colite ulcerosa Inflamação do fígado devido a reacções auto-imunes (hepatite auto-imune)

As preparações de Budesonida são especialmente benéficas pois permitem um eficaz desaparecimento de sintomas como inchaço e inflamação. Normalmente, o efeito dura até 12 horas, permitindo aos pacientes prevenir futuros ataques de asma, por exemplo. É um tratamento de longo prazo, de uso diário que pode ser, portanto, usada como inalador preventivo e nunca como um tratamento para um ataque agudo de asma.

A forma sob a qual a terapia é feita ou a dosagem, dependerá do tipo e da gravidade da doença.

Uso de budesonida no tratamento da DPOC

No caso de o paciente sofrer de Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) a toma de budesonida é mais eficaz que a aplicação de outro tipo de corticoides ou broncodilatadores, tanto em pacientes ambulatórios como hospitalizados.

Um estudo de 2007 (Gunen et al), dividiu mais de 150 pessoas em 3 guppos: um grupo apenas recebeu tratamento com um comum broncodilatador, outro grupo recebeu tratamento combinado de budesonida e outro glicocorticóide (prednisolona ) e o terceiro grupo recebeu tratamento combinado de budesonida e um broncodilatador. Os pacientes do segundo e terceiro grupo demonstraram claros melhores indicadores, como a saturação sanguínea de oxigénio e menor dificuldade em respirar durante o dia.

Como conclusão determina-se que o uso de budesonida é uma alternativa mais eficaz e segura comparativamente com o uso de outras drogas sistémicas no tratamento de pacientes com DPOC

Uso da Budesonida para tratamento de crianças asmáticas

Segundo um estudo de 2015, o tratamento de crianças asmáticas com monoterapia budesonida trouxe excelentes efeitos sobre a qualidade de vida e desempenho das mesmas. As crianças tinham entre 5 a 15 anos e pelo menos três meses antes do início do estudo, não foram tratados com drogas.

Se a administração de corticosteróides inalados não é possível, o Montelucaste é considerado como uma monoterapia recomendada para asma moderada na infância.

Uso de Budesonida para tratamento de doenças inflamatórias crônicas do intestino

A budesonida foi testada para estas condições e demonstrou ter bons efeitos tanto na Doença de Chron como para a Colite Ulcerosa.

Doença de Chron

A doença de Chron é uma debilitação crónica inflamatórica do trato digestivo que afeta qualquer ponto desde a boca ao anûs. O tratamento mais comum é o uso de estetóides orais. Infelizmente, os mesmos causam efeitos colaterais significativos como diabetes, ganho de peso (obesidade), alterações de humor, hipertensão, etc. Até que surgem outras alternativas, como a budesonida.

Em 2015, vários investigadores fizeram então uma análise de mais de 14 estudos com um total 1805 participantes. Os estudos variavam entre a comparação do uso da budesonida e esteróides convencionais; comparação do uso da budesonida e um placebo; comparação do uso de budesonida e o ácido 5-aminosalicílico.

Os resultados demonstram que a budesonida é mais eficaz do que o placebo na indução da remissão da doença de Crohn. Embora a eficácia a curto prazo com budesonida seja menor do que com esteróides convencionais, em particular naqueles com estádios mais graves da doença ou com mais amplo envolvimento do cólon, o risco de eventos adversos e supressão adrenal com budesonida é menor.

Colite Ulcerosa

A Colite Ulcerosa é uma doença crónica que afeta a camada interna (mucosa) que reveste o intestino grosso ou Cólon.

Atualmente não existe cura definitiva para esta doença, mas existem vários tratamentos que permitem uma melhoria dos sintomas da doença e consequentemente melhhoria da qualidade de vida dos pacientes. Existem várias escalas e classificações da Colite Ulcerosa, e como tal é possível medir essas melhorias.

Foi isso que um estudo de 2010 (D'Haens, et al), visou comprovar. Um total de 36 pacientes foram divididos em 2 grupos e tratados respetivamente com comprimidos de Budesonida 9mg ou com um placebo.

Após 4 semanas de tratamento o grupo que fez a toma diária de Budesonida 9mg demostrou rápidas e significativas melhorias comparativamente ao grupo do placebo. Permitiu melhor qualidade de vida e sem efeitos secundários graves como os frequentemente causados por outros esteróides mais tóxicos.

A budesonida é administrado sob a forma de cápsulas resistentes ao suco gástrico ou grânulos correspondentes, no tratamentos das doenças acima mencionadas. No caso de processos inflamatórios no cólon, a substância activa está disponível na forma de espuma ou suspensão rectal. Independentemente da doença, a duração do tratamento é de uma a duas vezes por dia.

Posologia da Budesonida

A Budesonida apresenta-se principalmente sob a forma farmacêutica de nebulização para ser inalada cuja posologia depende do diagnóstico. Chamada também de Bedesonida nasal, a sua fórmula em aerossol/nebulizador permite uma rápida resposta ao processo inflamatório na medida em que atua diretamente nas finas vias respiratórias primeiro, aliviando em pouco tempo os sintomas.

De modo geral, a substância activa budesonida é administrada sob a forma de gotas, sob a forma de pulverização (spray nasal) ou em forma de cápsula ou supositório. Os medicamentos frequentemente utilizados para o tratamento da asma são, por exemplo, symbicort ou pulmicort, que podem contribuir para o alívio dos sintomas de asma como inaladores preventivos.

Pode ser comercializada com diversos nomes sendo os mais comuns:

  • Pulmicort (Budesonida) – Fabricado pela AztraZeneca este Inalador TurboHaler está disponível nas doses de 100mcg, 200mcg e 400mcg
  • Symbicort (Budesonida + Formoterol ) – Fabricado pela AztraZeneca este Inalador TurboHaler está disponível nas doses de 100/6mcg, 200/6mcg e 400/12 mcg
  • Entocort (Budesonida) – Fabricado pela alemã Tillotts Pharma está disponível em comprimidos de 3mg.
  • Busonid (Budesonida) – Com diversos fabricantes, nomeadamente no Brasil e em forma de Aerossol Nasal (50mcg) ou Suspensão aquosa ( 32mcg, 50mcg, 64mcg, 100mcg).

Faz-se uma distinção entre as monopreparações de medicamentos com budesonida (contêm apenas um ingrediente farmacologicamente activo) tais como Busonid ou Pulmicort e produtos de combinação (contendo várias substâncias activas) como Symbicort ou Vannair.

pulmicort budenosidasymbicort budenosida +formoterol

Como usar Budesonida?

O modo de utilização da budesonida varia com a doença e o paciente mas as duas principais formas são:

Uso de Budesonida por Inalação

  • Adultos - Inalar 200 a 400 mcg de Budesonida, 1 a 2 vezes por dia.
  • Crianças (6 anos de idade ou mais) - Inalar 200 mcg da solução de Budesonida, 2 vezes ao dia.

A "bombinha" é agitada vigorosamente antes do uso. Em seguida, é suportado com o polegar em baixo enquanto o dedo apontador está na parte superior do gatilho.

Primeiro expire, deitando todo o ar fora. Certifique-se que o inalador está colado aos lábios para que nenhum ingrediente ativo seja perdido. Quando o aerossol é liberado, o paciente deve inalar o mais profundamente possível. Desta forma, as substâncias activas também entram nas ramificações mais finas das vias aéreas.

Uso de Spray Nasal de Budesonida

  • Adultos e crianças acima de 12 anos - Aplicar 100 mcg de Budesonida em cada narina, uma vez por dia. Se necessário, a dose pode ser aumentada para 100 mcg, 2 vezes ao dia.

Quais os Efeitos Colaterais da Budesonida?

Como todos os medicamentos, a Budesonida tem alguns efeitos secundários que não ocorrem sempre nem em todos os pacientes.

A tabela infra descreve os efeitos secundários pela sua frequência de incidência.

Efeitos Colaterais Muito Comuns
  • Rouquidão, Tosse
  • Irritação na garganta
Efeitos Secundários Raros
  • Erupção ou vermelhidão da pele
  • Coceira
  • Nervosismo
  • Inquietação ou agitação
  • Broncoespasmos
  • Depressão
Efeitos Secundários Muito Raros
  • Alterações na densidade óssea
  • Alteração da função Renal

A inalação de budesonida também faz com que a substância activa seja absorvida pelas mucosas na boca e na garganta. Isso pode aumentar a tendência de obtenção de infecções fúngicas. O risco deste efeito secundário pode ser reduzido se o doente comer ou beber algo de antemão. Se isto não for possível, deve lavar a boca com água após a inalação.

Em caso de persistência ou agravamento dos efeitos e/ou efeitos não listados o paciente deve consultar um médico.

Quais as Interações medicamentosas da Budesonida?

A Budesonida na presença de outros tratamentos para a asma como o Salbutamol amplia o efeito destes últimos, pelo que a sua concomitância é contraindicada. Neste caso é mais indicado reforçar a dose de Budesonida.

É aconselhada precaução na toma concomitante de Budesonida com a pilula contraceptiva pelo facto de a pílula ser constituída na sua fórmula convencional por etinilestradiol que é um estrogénio que é decomposto pela mesma enzima que decompõe o fármaco para a asma. Deste modo, alterações de concentração de budesonida no sangue podem ocorrer. O médico deve ser informado destas circunstâncias.

Medicamentos antiepiléticos como a carbamazepina e também antibióticos como a rimfapicina contribuem para a diminuição da eficácia da Budesonida pelo que a dose desta última deve ser ajustada por um médico.

A concomitância com medicamentos para a alergia, como, por exemplo, cetirizina deve ser monitorizada.

Contra-indicações da Budesonida

A toma de budesonida está contraindicada nos seguintes casos:

  • Intolerância ou hipersensibilidade à budesonida ou alguns dos excipientes presentes no fármaco em questão
  • Intolerância ou hipersensibilidade à proteína do leite/soro de leite
  • Pacientes com tuberculose pulmonar ou tuberculose hepática grave
  • Atletas competidores ou de alto rendimento porque tratando-se de um esteroide a budesonida pode ser considerada doping e o seu uso é terapêutico, não performativo
  • Pacientes com infeções virais com, por exemplo, o sarampo ou a varicela
  • A budesonida aumenta a severidade das infeções fúngicas pelo que é recomendável que doentes com esta patologia sejam adequadamente medicados antes de iniciarem o tratamento

Uso de Budesonida na Gravidez ou Lactação

A budesonida é passada através da placenta para o feto, motivo pela qual a sua toma por parte de mulheres grávidas deve ser atentamente seguida por um médico. Efeito semelhante acontece nas mulheres que estão a amamentar, pois a budesonida pode ser excretada no leite materno

Uma dose mal ajustada no tratamento da asma pode ser trazer um risco durante a gravidez, mas deve haver sempre uma avaliação do risco-benefício em relação à drog, reforçando portanto a ideia que é extremamente importante o aconselhamento de um médico.

Budesonida pode ser um possível tratamento de asma durante a gravidez devido às suas propriedades, nomeadamente ao seu efeito sistêmico não-existente e menores efeitos colaterais. Estudos demostram, que em mais de 6.000 gestações documentadas, não houve qualquer referência a um efeito nocivo da budesonida sobre o feto. Atualmente, a budesonida ou a inalação de glucocorticóides é, portanto, um tratamento preferencial para a asma durante a gravidez.

Uso de Budesonida em pacientes Pacientes com insuficiência hepática

Apesar da falta de estudos clínicos, com a budesonida é eliminada pelo metabolismo hepático, deve existir especial cuidado na toma de budesonida por pacientes com insuficiência hepática grave. Se o paciente tiver alguma alteraçõe leve ou moderada a nível renal, aí a probalididade de alterações clinicamente significantes na exposição à droga acredita-se ser diminuta.

Fontes:

  1. "Budesonide (Inhalation Route)" , Mayo Clinic (2015) - URL: mayoclinic.org
  2. " SYMBICORT® TURBUHALER® (fumarato de formoterol di-hidratado/budesonida)" , AstraZeneca do Brasil Ltda. (2015) - URL: anvisa.gov.br
  3. " Budesonida + Formoterol AstraZeneca" , Diagnosia (2011) - URL: Diagnosia.com
  4. "Caregiver treatment satisfaction is improved together with children's asthma control: Prospective study for budesonide monotherapy in school-aged children with uncontrolled asthma symptoms ", 1. Shigemi Yoshihara et al. (2015) in: Allergology International October 2015 Volume 64, Issue 4, Pages 371-376 - URL: allergologyinternational.com
  5. "Budesonide for treatment of people with active Crohn's disease." , Rezaie A, et all. (2015) - URL: cochrane.org
  6. "Clinical trial: Preliminary efficacy and safety study of a new Budesonide-MMX® 9 mg extended-release tablets in patients with active left-sided ulcerative colitis" ,D'Haens, et all. in: Journal of Crohn's & Colitis. 2010 Jun;4(2):153-60 - URL: ncbi.nlm.nih.gov
  7. "The role of nebulised budesonide in the treatment of exacerbations of COPD" ,H. Gunen, et all , in: Eur Respir J 2007; 29: 660–667 - URL: cgsmedicare.com

Publicado em 22 de Novembro de 2016

Como funciona
Passo 1 - Escolha o medicamento
Passo 2 - Preencha o formulário médico
Passo 3 - O médico analisa os seus detalhes e emite a sua prescrição
Passo 4 - O seu medicamento será enviado no mesmo dia ou no dia seguinte
Entrega gratuita