Clamídia

Sintomas e Tratamento da Clamídia

A clamídia é uma das DSTs mais comuns na Europa e a sua taxa de infecção aumenta todos os anos. Afecta frequentemente homens e mulheres jovens, com idades entre os 16 e os 25 anos. Para as mulheres, a clamídia é particularmente perigosa, uma vez que 75% das infectadas não apresenta quaisquer sintomas. Este é também o caso de 50% dos homens.

Esta doença sexualmente transmissível é muito perigosa e pode levar a problemas de saúde graves se deixada por tratar, em especial nos órgãos sexuais. A melhor forma de conhecer se sofre de clamídia é consultar o seu médico, para que seja feito um teste a esta condição.

Saiba mais sobre Clamídia
Nossos Serviços
Encontre o seu tratamento
Sobre nós
Nossos Serviços
Seleccione Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h
Sobre nós

euroClinix é uma empresa que presta cuidados de saúde a nível internacional, oferencendo serviços médicos diferenciados, em múltiplas línguas.

Nós já tratamos mais de

1169264 pacientes

Veja o que eles pensam sobre nós...

  • Prescrição Médica OnlineNão desperdice o seu tempo na sala de espera do médico
  • Entrega Expresso Grátis24h Portugal e Europa e 7 dias no Brasil
  • Discreto e confiávelApenas o médico tem acesso à sua informação
4.8/5 7,393 Comentários no

Azitromicina

4.4 / 5 (66 Opiniões)
  • Antibiótico de eleição para a clamídia vaginal/peniana
  • Tratamento da clamídia numa dose única de 1g
  • Desaparecimento dos sintomas rapidamente
Mais informação sobre Azitromicina

Doxiciclina

4.7 / 5 (74 Opiniões)
  • Indicada para pacientes alérgicos à penicilina
  • Alívio rápido dos sintomas
  • Eliminação completa da infecção em 7 dias
Mais informação sobre Doxiciclina

Clamídia: O que é?

Clamídia é uma doença sexualmente transmissível, ou seja, uma DST, que está entre as mais comuns entre pessoas em idade sexual ativa. Trata-se de uma doença na maior parte das vezes silenciosa, que não se manifesta em seu princípio, podendo afetar homens e mulheres ativos sexualmente.

A clamídia não tem tratamento complicado, podendo ser combatida com antibióticos, embora possa desencadear graves problemas de saúde, quando não tratada devidamente.

A bactéria causadora da clamídia provoca uma infecção que atinge principalmente a uretra e os órgãos genitais, podendo também atingir a região anal, as mucosas da boca e a faringe, tornando-se também responsável por diversas doenças pulmonares.

Bactérida da Clamídia

A clamídia, quando não tratada, pode provocar infertilidade, tanto no homem quanto na mulher. No homem, a clamídia pode gerar inflamações nos testículos e nos epidídimos, provocando orquite e epididimite, provocando obstruções que impedem a passagem dos espermatozoides. Nas mulheres, o risco da clamídia é atravessar o colo do útero, atingindo as trompas e provocando a DIP – doença inflamatória pélvica.

O processo infeccioso, nas mulheres, pode causar a obstrução das trompas, impedindo o encontro do óvulo com o espermatozoide, ou pode dar origem à gravidez tubária, ou ectópica, quando o óvulo fecundado não consegue alcançar o útero.

Uma mulher infectada com clamídia durante sua gestação pode também correr o risco de partos prematuros e de aborto. O bebê, quando infectado durante o parto, corre o risco de desenvolver um tipo de conjuntivite, a oftalmia neonatal, além de pneumonia.

Como a clamídia é transmitida?

A Chlamyda trchomatis, bactéria que provoca a doença Clamídia, pode ser transmitida de uma pessoa para outra por duas formas: através de relações sexuais, tanto vaginal quanto anal ou oral, ou ainda da mãe para o filho, durante a passagem do feto pelo canal vaginal, na hora do parto.

Da mesma maneira como outras doenças sexualmente transmissíveis, como a gonorreia, por exemplo, a transmissão entre as pessoas ocorre única e exclusivamente através das relações sexuais.

A clamídia não é transmissível através do uso comum de banheiros ou de piscinas públicas, também não podendo passar de uma pessoa para outra através do beijo ou de carícias sexuais.

Ainda não há comprovação de que a clamídia possa ser transmitida através de toalhas ou roupas íntimas, embora seja teoricamente possível, uma vez que, para sua transmissão, é preciso ter contato com as secreções contaminadas, ainda frescas.

Assim, se uma mulher com corrimento vaginal contaminar uma toalha que, imediatamente depois, seja usada por outra pessoa, homem ou mulher, para secar suas partes íntimas, pode haver contaminação. Embora essa seja uma situação hipotética, no entanto, a comprovação que a medicina possui é de que só seja transmitida através de relações sexuais.

Os olhos podem ser contaminados pela clamídia no caso de as mãos estarem com secreções contaminadas e a pessoa se coçar, sem antes lavar as mãos.

Quais são as causas da clamídia?

A bactéria que causa a infecção denomina-se chlamydia trachomatis. Esta bactéria vive dentro da vagina ou do pénis e pode ser encontrada no sémen masculino ou nos fluídos vaginais dos indivíduos infectados. Pode ser transmitida por sexo desprotegido vaginal, oral e anal. Também pode estar em risco se partilhar brinquedos sexuais com alguém infectado. Terá maiores hipóteses de contrair esta DST se fizer sexo desprotegido ou tiver múltiplos parceiros sexuais.

Quais são os sintomas da clamídia?

Os sintomas da clamídia não são visíveis na maioria dos casos, motivo pelo qual é importante ser testado(a) no caso de ter tido sexo desprotegido. Contudo, existem alguns sintomas da clamídia que pode identificar.

Os homens podem experienciar corrimento no pénis e uma ligeira irritação na cabeça do pénis, enquanto que as mulheres com infecção podem experienciar cistite, alterações no corrimento vaginal e dor no baixo abdómen. Estes sintomas podem ser também causados por outras condições, pelo que é importante fazer testes no caso de aparecerem.

Ciclo infeccioso de Clamídia

Outros sintomas da clamídia em geral incluem:

  • Dor ao urinar
  • Dor testicular (homens)
  • Dor durante o sexo (mulheres)

Apesar de a clamídia poder não causar um desconforto imediato que obrigue ao tratamento, pode eventualmente causar danos à sua saúde reprodutiva, podendo causar desconforto e até levar à infertilidade. Estes são alguns dos efeitos secundários mais comuns associados à clamídia e que são frequentemente negligenciados por serem semelhantes a outras infecções mais gerais.

Homens e mulheres podem experienciar diferentes sintomas relacionados à Clamída. Veja abaixo os sintomas comuns em homens e mulheres.

Sintomas de clamídia - mulheres

Se não for tratada, a clamídia pode causar infertilidade em mulheres. Muitas vezes não tem sintomas, ou sintomas que são tão suaves que podem ser difíceis de detectar. Sete em dez mulheres com clamídia não percebem sintomas.

Se os sintomas aparecem, é geralmente dentro de três semanas de exposição.

Esses sintomas incluem:

  • Corrimento vaginal excessivo ou anormal, normalmente leitoso ou amarelo;
  • Sensação de queimação durante a micção ou a necessidade de urinar muito regularmente;

Os sintomas de longo prazo incluem:

  • Sangramento ou manchas entre períodos;
  • Períodos invulgarmente pesados;
  • Dor ou sangramento durante o sexo; Corrimento vaginal incomum;
  • Náusea ou febre;
  • Dor nas costas ou abdominal; ou
  • Sentir-se pesado ao redor dos quadris.

Sintomas de clamídia - homens

Muitas vezes não apresenta sintomas, ou sintomas que são tão suaves que podem ser difíceis de detectar. Um quarto a metade de todos os casos de clamídia masculina passam despercebidos, o que é parte da razão pela qual o número de infecções tem aumentado consideravelmente nos últimos quinze anos.

A curto prazo, se os sintomas de Clamídia aparecerem, acontecem geralmente dentro de sete a vinte dias de infecção. Os primeiros sintomas podem variar entre:

  • Corrimento do pênis que pode ser branco, turvo ou aguado;
  • Uma sensação dolorosa, desconfortável ou ardente durante a micção; ou
  • Inflamação, dor nos testículos ou inchaço (este desconforto pode aparecer na área ao redor dos testículos também);
  • Clamídia pode também apresenta infecção na garganta, conjuntivite (nos olhos) e como dor retal, descarga ou sangramento.

Complicações da clamídia

O tempo de incubação da clamídia é, geralmente, de 15 dias, fase em que já se torna possível o contágio. A incubação pode ser assintomática. Quando os sintomas aparecem, são os mesmos em ambos os sexos, apresentando dor ou ardor ao urinar, com aumento das micções e presença de secreção fluída. As mulheres, durante os sintomas, podem também apresentar perda de sangue nos intervalos entre as menstruações, com dor no baixo ventre.

Entre as mulheres contaminadas, apenas 10% desenvolvem sintomas, enquanto que, nos homens, esse percentual aumenta para 30%. Nos dois casos, mesmo sem sintomas, uma pessoa contaminada pode transmitir a doença para seus parceiros.

A clamídia pode provocar complicações em pacientes com poucos ou nenhum sintoma e que não procuram tratamento médico.

Doenças causadas por clamídia

Nas mulheres, a principal complicação é a progressão da bactéria em direção ao sistema reprodutivo, útero, trompas e ovários, provocando a DIP, doença inflamatória pélvica, que pode acometer pelo menos 15% das mulheres contaminadas. A clamídia pode provocar a infertilidade, gerando lesão das trompas ou do útero por infecção prolongada.

Mulheres contaminadas apresentam mais riscos de desenvolvimento de câncer do colo do útero e, nas grávidas, a infecção pode levar ao parto prematuro. Bebês também podem ser infectados, desenvolvendo complicações e até a morte por pneumonia ou conjuntivite.

A complicação mais comum em homens é a prostatite, infecção da próstata, além da infecção do epidídimo, localizado logo acima dos testículos.

Alguns sorotipos da clamídia, denominados L1, L2 e L3, podem apresentar ainda uma doença denominada linfogranuloma venéreo, em que a infecção inicial é caracterizada por um pequeno nódulo, que se rompe, formando uma úlcera genital. A infecção pode se estender para os nódulos linfáticos da região pélvica, os gânglios da virilha.

Tratamentos para clamídia

A clamídia pode ser identificada através de exames da urina ou por amostra de material recolhido com cotonete na vagina, no colo do útero ou na uretra. Os resultados podem sair no prazo máximo de 48 horas.

Alguns exames, como a sorologia para pesquisa dos anticorpos IgM e IgG contra a clamídia podem ser úteis, embora não tão confiáveis. A pesquisa sobre a infecção deve ser feita pela técnica chamada PCR, que busca a presença da bactéria nas secreções vaginais, nas mulheres, e na urina, nos homens.

O tratamento da clamídia é bastante simples, podendo ser feito com administração de antibióticos. Um dos medicamentos mais frequentemente prescrito para a clamídia vaginal ou peniana  é a Azitromicina, em dose única de 1 g, sendo que devem ser tomados dois comprimidos de Azitromicina 500mg de uma só vez para perfazer a dose de 1000mg.

No caso da clamídia ano-rectal, recomenda-se a Doxiciclina como tratamento de eleição. No caso de estarem presentes os dois tipos de infecção, ambos os medicamentos devem ser tomados simultaneamente.

Durante o tratamento, o paciente deve permanecer pelo menos uma semana sem qualquer atividade sexual.

Em pacientes que apresentam o linfogranuloma venéreo ou infecção anal pela clamídia, o tratamento deve ser mais cuidadoso, sendo tratado por mais tempo.

O quadro clínico da clamídia pode se apresentar da mesma forma que a gonorreia, sendo comum também se prescrever um tratamento que tenha ação sobre as duas bactérias, associando-se a Azitromicina com a Ceftriaxona.

Ao se constatar uma contaminação pela clamídia, é importante que o parceiro ou parceiros do paciente também sejam testados e, se necessário, que seja feito o tratamento, mesmo que a pessoa não apresente sintomas.

É importante lembrar que uma pessoa contaminada, mesmo depois de tratada e curada da infecção, pode ser novamente infectada pela clamídia. O fato de ter tido uma infecção anterior não oferece qualquer imunidade.

O que acontece se a clamídia não for tratada?

A clamídia não tratada pode levar a problemas de fertilidade a longo-prazo tanto para os homens como para as mulheres. Para as mulheres, uma complicação comum é a inflamação dos ovários, do útero e das trompas de Falópio, conhecida como doença inflamatória pélvica (DIP). Isto pode levar à infertilidade e a cicatrizes e tornar a mulher mais susceptível a outras infecções.

A clamídia não tratada nos homens pode levar à diminuição da produção de esperma, bem como à inflamação dos tubos por onde passa o esperma e dos testículos, para além de inchaço, vermelhidão e dor no escroto.

Clamídia não tratada em mulheres

Nas mulheres, se não for tratada, a clamídia pode levar a partos prematuros, gravidez ectópica, aborto precoce e infertilidade, através de:

  • Doença Pélvica Inflamatória (PID) - a infecção bacteriana se espalha do colo do útero da mulher, através do útero, para as trompas de falópio e ovários. PID pode causar infertilidade, dor pélvica profunda e aumentar o risco de gravidez ectópica.
  • Bartolinite - uma condição em que as glândulas que secretam muco para lubrificar a vagina se tornam bloqueadas e infectadas. Isso pode causar cistos ou abscessos cheios de pus para desenvolver.
  • Salpingitis - um bloqueio das trompas de falópio que impede o ovo de passar ou entrar nas trompas de falópio. Isso aumenta o risco de gravidez ectópica.
  • Cervicite - uma condição em que, se não for tratada a longo prazo, o colo do útero aumenta e desenvolve cistos (que podem ficar infectados). Cervicite crônica pode levar a dor nas costas, dor pélvica e persistente corrimento vaginal. Durante o parto, a clamídia também pode ser passada da mãe para o bebê, que está em risco de desenvolver infecções oculares ou pneumonia.

Clamídia não tratada em homens

Nos homens, se não for tratada, a clamídia pode causar:

  • Infecções da uretra, que podem levar a sérios danos aos rins;
  • Recto inflamado;
  • Testículos inflamados;
  • Inflamação e inchaço do tubo utilizado para transportar e armazenar esperma, que pode levar a um abscesso e causar infertilidade; ou
  • Artrite reativa (inflamação de uma articulação causada por uma infecção em qualquer parte do corpo).

Prevenção da clamídia

A única forma garantida de não contrair clamídia é quando a pessoa não mantém relações sexuais. No entanto, o uso de preservativos durante o ato sexual é um sistema preventivo eficiente, embora não totalmente garantido.

Não existe qualquer vacina contra a clamídia no momento. Portanto, seja para a clamídia ou para se prevenir qualquer outra doença sexualmente transmissível, é necessário praticar sexo seguro, com o uso de preservativo.

Havendo qualquer sintoma de DST, seja a clamídia ou outra doença, o médico deve ser procurado de imediato, seguindo-se rigorosamente o tratamento.

Encomendar medicamentos de prescrição online

A clamídia é uma DST comum que afecta em especial os jovens. Por esta faixa etária ser frequentemente a mais exposta. A procura de aconselhamento médico nem sempre é fácil, permanecendo muitas vezes esta condição sem tratamento.

Azitromicina e doxiciclina, os medicamentos para o tratamento da clamídia são medicamentos de prescrição e, portanto, não podem ser comprados sem receita médica.

Na euroClinix, você pode solicitar azitromicina e doxiciclina online, uma vez que lhe forneceremos uma prescrição válida e legal com a qual é possível comprar o medicamento.

É possível encomendar o medicamento depois de preencher o nosso questionário médico. Um dos nossos médicos registados na UE irá avaliá-lo e enviar-lhe uma confirmação da sua receita por email. Após a avaliação médica do questionário, o médico realizará a prescrição mais adequada para o caso do paciente e a nossa farmácia realizará a entrega do medicamento no dia seguinte em todos os países da Europa e em até 10 dias no Brasil.

Aconselhamos que não considere ofertas online que não procedem de acordo com este princípio. A euroClinix é uma clínica online certificada com médicos praticantes e capazes de oferecer medicamentos sob prescrição através da Internet.

Se precisar de ajuda para preencher a consulta, ou se tiver alguma dúvida, não hesite em contactar-nos.


Fontes:

  1. Clamidia e Gonorreia - Informaçãoes gerais, Portal Aids - URL: aids.gov.br
  2. Sintomas, Transmissão e tratamento, MD Saúde - URL: mdsaude.com
  3. Chlamydia trachomatis, NCBI - URL: ncbi.nlm.nih.gov

Atualizado em 27 de Fevereiro de 2017.

Como funciona
Passo 1 - Escolha o medicamento
Passo 2 - Preencha o formulário médico
Passo 3 - O médico analisa os seus detalhes e emite a sua prescrição
Passo 4 - O seu medicamento será enviado no mesmo dia ou no dia seguinte
Entrega gratuita