Tipos de Ejaculação

Embora pareça um tanto estranho falar em tipos de ejaculação, existem problemas que podem afetar o homem com relação ao orgasmo de formas diferentes. Esses problemas podem atingir o homem em qualquer fase de sua vida, podendo ser decorrentes das mais diferentes causas, tanto físicas quanto psicológicas, ou mesmo em combinação das duas.

Entre os principais tipos de problemas de ejaculação estão a ejaculação precoce, a ejaculação retrógrada e a ejaculação retarda.

Saiba mais sobre as causas, os sintomas e os tratamentos dos diferentes tipos de problemas de ejaculação.

Que tipos de problemas de ejaculação existem?

Os diferentes tipos de ejaculação que podem atingir o homem são a ejaculação precoce, a ejaculação retrógrada e a ejaculação retardada. Cada uma delas apresenta causas e sintomas diferenciados, exigindo tratamento e acompanhamento médico.

Em qualquer dessas situações, o homem deve deixar de lado o medo ou a vergonha de procurar ajuda médica, lembrando sempre que se trata de problemas que podem atingir qualquer pessoa, não sendo nenhum motivo para não procurar um tratamento.

Ejaculação precoce

A ejaculação precoce é um problema que se torna recorrente para pelo menos um em cada três homens sexualmente ativos. É uma situação em que o homem não consegue manter o controle sobre a ejaculação, chegando ao orgasmo, em alguns casos, antes mesmo da penetração.

Podemos considerar que qualquer homem que ejacula pelo menos até dois minutos depois do início da estimulação sexual seja vítima da ejaculação precoce, exigindo que seja aplicado um tratamento para que a situação retorne ao normal, ou seja, fazendo com que o homem chegue à média do tempo de ejaculação, normalmente de 5 minutos.

A ejaculação precoce é o tipo mais comum de disfunção sexual masculina, podendo apresentar diversos graus. O problema, até bem pouco tempo atrás, não tinha qualquer medicamento específico e, assim, quem era portador de ejaculação precoce não tinha meios de se curar.

Quando a ejaculação precoce acontece esporadicamente, não há qualquer razão para o homem se preocupar. No entanto, quando se torna recorrente, é necessário procurar um urologista, fazer um diagnóstico sobre o problema e seguir o tratamento recomendado.

Durante um estudo sobre o tempo de ejaculação, ou tempo de latência de ejaculação intravaginal, diversos homens foram cronometrados, procurando verificar o tempo de duração da relação e das suas ejaculações.

O estudo permitiu entender que o tempo médio é de 5 minutos, sendo considerada como ejaculação precoce o orgasmo alcançado em menos de 2 minutos depois do início da estimulação sexual.

Existem diversos fatores psicológicos e emocionais que podem causar o problema, assim como condições médicas subjacentes. A medicina, no entanto, já apresenta solução para o problema, com medicamentos de prescrição que podem levar o homem a retardar a ejaculação e manter uma relação sexual totalmente satisfatória.

A ejaculação precoce é diferente da impotência sexual. No entanto, os dois podem estar relacionados quando o homem tem dificuldades de manter a ereção.

Saiba mais sobre as características da ejaculação precoce no infográfico abaixo:

caracteristicas-da-ejaculacao-precoce

Causas da ejaculação precoce

Não existe uma causa geral que possa permitir a qualquer homem saber a origem de seu problema. Os médicos procuram diagnosticar a situação através de conversas com o paciente, analisando primeiro os fatores psicológicos que possam eventualmente causar a ejaculação precoce, e partindo para os fatores biológicos e orgânicos que sejam causadores.

Quando decorrente de fatores psicológicos, a ejaculação precoce prejudica ainda mais a autoestima e a qualidade da relação. Alguns desses problemas podem ser:

  • Ansiedade;
  • Problemas de relacionamento;
  • Insegurança de satisfazer a parceira.
  • Uso de alguns medicamentos psicotrópicos ou de drogas ilícitas.

Entre os fatores orgânicos ou biológicos, podemos citar:

  • Níveis hormonais acima do normal;
  • Níveis de neurotransmissores acima do normal;
  • Atividade anormal do sistema de ejaculação;
  • Distúrbios da tireoide;
  • Inflamação ou infecção na próstata e na uretra;
  • Fatores genéticos;
  • Problemas no sistema nervoso em razão de traumas ou cirurgias.

Além disso, existem também alguns fatores de risco que podem facilitar o desenvolvimento da ejaculação precoce, como, entre outros:

  • Disfunção erétil, com problemas em ter ou manter a ereção, assim como o medo de perde-la, levando o homem a ejacular antes do tempo;
  • Estresse, com instabilidade mental ou emocional limitando a habilidade de concentração e de relaxamento;
  • Problemas de saúde, como doenças cardíacas, que podem aumentar a ansiedade durante a relação sexual.

Sintomas da ejaculação precoce

O principal e primeiro sintoma da ejaculação precoce é quando o homem atinge o orgasmo antes do que espera. A situação pode acontecer com qualquer tipo de estímulo sexual, inclusive mesmo durante uma masturbação.

A medicina classifica a ejaculação precoce em duas categorias: a primária e a secundária.

Quando se trata de uma ejaculação precoce primária, suas principais características são problemas relacionados com a própria vida do portador, como as apresentadas na tabela abaixo:

  • Dificuldade em manter a ereção com menos de um minuto de penetração;
  • Falta de habilidade em retardar a ereção durante o ato sexual;
  • Frustração, estresse ou o ato de evitar intimidade sexual com a parceira.

A ejaculação precoce secundária, por sua vez, apresenta os mesmos sintomas da primária, havendo apenas uma diferença: os sintomas geralmente não fazem parte da vida sexual do homem, podendo ocorrer em qualquer momento da vida, mesmo que ele tenha tido uma vida sexual normal, podendo ter origem orgânica.

Ejaculação retardada

A ejaculação retardada, como já se pode prever pelo próprio nome, é exatamente o oposto da ejaculação precoce. Quando o homem é portador desse tipo de problema, não consegue atingir o orgasmo na hora certa ou quando deseja. O homem pode até experimentar uma ejaculação normal e forte, sentindo-se excitado, embora não consiga chegar ao ponto de ejacular.

Trata-se de um problema menos comum do que a ejaculação precoce, uma vez que aproximadamente apenas 5% dos homens apresentam a condição em algum momento da vida, segundo estudiosos médico.

Contudo, o problema pode ser bem maior, uma vez que, de forma geral, o homem sente vergonha ou medo em procurar ajuda. Essa disfunção sexual pode ter causas tanto físicas quanto psicológicas, sendo totalmente reversível através de um tratamento individualizado.

Causas da ejaculação retardada

Entre as causas psicológicas da ejaculação retardada podemos encontrar diversas situações que provocam tensão, medo ou estresse, interferindo no organismo masculino e atrasando a ejaculação.

O homem pode ter um trauma de infância que vai repercutir em sua vida adulta, ou mesmo uma situação do momento atual que esteja interferindo. A seguir, relacionamos algumas possíveis causas:

Causas psicológicas da ejaculação retardada
  • Culpa ou ansiedade por motivos religiosos;
  • Medo de engravidar a mulher;
  • Estresse;
  • Traumas de infância ou mesmo da vida adulta;
  • Tensão durante a relação sexual;
  • Preferência da masturbação a uma relação sexual.
  • Inibição psicológica;
  • Transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

Em alguns casos, a masturbação tem grande influência na ejaculação retardada. Muitos homens que apresentam o problema, não conseguem ejacular normalmente quando se masturbam.

Além disso, muitos homens, principalmente mais jovens, preferem se masturbar a manter uma relação sexual, não conseguindo sentir prazer suficiente no relacionamento a dois.

Esse comportamento pode estar ligado à ansiedade e ao medo da relação sexual, da pressão de mostrar um desempenho ou pelo simples fato de precisar atingir o orgasmo junto com a parceira.

Existem casos também em que o homem, principalmente na adolescência, ainda não teve maior experiência sexual, estando mais acostumado a se masturbar e, dessa forma, exercendo maior pressão com a mão. Quando vai ter uma relação sexual, a pressão da vagina sobre o pênis pode ser menor do que das mãos, dificultando o estímulo para que ele possa atingir o orgasmo e ejacular.

Como causas orgânicas da ejaculação retardada, uma das mais comuns é o uso constante de antidepressivos. Os medicamentos contra estresse e depressão costumam provocar atraso ou dificuldade de atingir o orgasmo.

Existe também o fator da idade, que, conforme vai aumentando, reduz a sensibilidade do pênis, afetando diretamente a facilidade de chegar à ejaculação.

Veja a seguir os principais problemas orgânicos que podem causar a ejaculação retardada:

Problemas orgânicos que causam a ejaculação retardada
  • Abuso de álcool e drogas;
  • Diabetes;
  • Uso de medicamentos antidepressivos ou outros específicos;
  • Esclerose múltipla;
  • Distúrbios hormonais;
  • Lesões neurológicas;
  • Problemas decorrentes de envelhecimento.
  • Transtornos urológicos congênitos.

Sintomas da ejaculação retardada

Os sintomas da ejaculação retardada são bastante comuns: o homem simplesmente tenta chegar ao orgasmo, mas os estímulos são insuficientes para que possa chegar a esse momento.

A ejaculação retardada é um problema que demanda uma consulta com um médico urologista, que precisa encontrar as causas para fazer um tratamento individualizado, podendo ou não aplicar algum tipo de medicamento, dependendo das causas que levaram a essa disfunção.

Normalmente é necessário fazer um trabalho que envolve mais de uma especialidade, como, por exemplo, um urologista e um psicólogo, ou mesmo um endocrinologista, quando houver qualquer problema relacionado a hormônios ou no caso de diabetes.

Um terapeuta sexual também pode ser uma opção para ajudar a melhorar o relacionamento, principalmente quando a causa da ejaculação retardada chega ao ponto de provocar atritos no relacionamento entre o casal. Além disso, o homem precisa ter trabalhada sua autoestima e autoconfiança, identificando os possíveis motivos que estão provocando estresse e tensão.

O diagnóstico deve ser bem detalhado, uma vez que a ejaculação retardada pode ser confundida com a anorgasmia, ou seja, um problema em que o homem é estimulado sexualmente, mas apresenta dificuldade em atingir o orgasmo e a ejaculação.

Ejaculação retrógrada

A ejaculação retrógada é um problema mais raro do que os tipos anteriores de ejaculação, não sendo diagnosticada com frequência. Quando um homem apresenta ejaculação retrógada, ele consegue manter relações sexuais.

No entanto, ao ejacular, em vez de o esperma se deslocar para a parte superior da uretra, saindo pelo pênis, desloca-se para bexiga, sendo eliminado junto com a urina. O problema não provoca qualquer dor, embora seja um inconveniente quando o casal está pretendendo ter filhos.

O tratamento da ejaculação retrógrada existe, podendo ser feito com medicamentos contendo efedrina ou fenilpropanolamina. No entanto, nem sempre o tratamento apresenta resultados.

Assim, quando o homem possui ejaculação retrógrada e pretende ter filhos, não conseguindo qualquer resultado com os medicamentos disponíveis, pode ser evado a colher espermatozoides ou utilizar as técnicas de reprodução assistida, como, por exemplo, a inseminação intrauterina, aplicando uma porção de esperma no útero da mulher.

Na ejaculação retrógrada, o homem sente a sensação do orgasmo, não conseguindo apenas ejacular como é de se esperar.

Veja abaixo o infográfico da ejaculação retrógrada:

infografico-ejaculacao-retrograda

Causas da ejaculação retrógrada

A ejaculação retrógrada não apresenta qualquer causa psicológica, ao contrário das outras. Suas causas são puramente orgânicas, principalmente quando o homem passou por cirurgias na próstata, ou quando é portador de diabetes. Raramente ela pode ser causada por uma causa psicológica, como a depressão.

Entre as causas mais comuns para a ejaculação retrógrada, podemos citar:

  • Doenças neurológicas, como esclerose múltipla;
  • Traumatismos de coluna que afetam os nervos;
  • Lesões locais, como traumas na uretra ou fratura na região do quadril.

Em alguns casos, a ejaculação retrógrada também pode ser decorrente do uso de determinados medicamentos para a pressão arterial, ou antidepressivos e ansiolíticos.

Sintomas da ejaculação retrógrada

Um dos principais sintomas da ejaculação retrógrada é a redução ou ausência de esperma durante o orgasmo. A ejaculação retrógrada, embora não provoque qualquer dor, leva o sêmen para a bexiga, sendo mais tarde expelido pela urina.

Normalmente, o homem com ejaculação retrógrada é capaz de ter ereção normal, atingir e sentir o orgasmo, não tendo apenas o resultado do orgasmo, ou seja, o sêmen.

Tratamentos para problemas de ejaculação

Um dos medicamentos mais utilizados para problemas de ejaculação, principalmente quando se trata de ejaculação precoce, é o Priligy, cujo princípio ativo é a dapoxetina.

Para homens que não conseguem controlar o orgasmo, além do tratamento com medicamentos como o Priligy, existem alternativas, como o uso de preservativos mais espessos, sprays e cremes desenvolvidos para apresentar uma leve anestesia, ajudando a minimizar a sensibilidade e permitindo que o homem tenha maior tempo durante a relação sexual antes de chegar ao orgasmo.

O Priligy é o único medicamento de prescrição0 disponível para a ejaculação precoce, um dos problemas mais comuns quando se trata de orgasmo masculino.

Nos outros casos de problemas de ejaculação precoce, no entanto, o paciente deve procurar um médico e expor o seu problema, sempre destacando o fato de que a última coisa que deve sentir é vergonha ou medo de falar com o profissional médico sobre suas dificuldades de ejaculação.

O sexo é uma das coisas mais importantes na vida de qualquer pessoa e, portanto, ter uma vida sexual saudável é essencial para que qualquer pessoa tenha mais autoconfiança e autoestima.

Fontes:

Como funciona
Escolha o Medicamento
Preencha o Formulário Médico
O médico emite a sua prescrição
Medicamento é enviado da farmácia
Entrega gratuita