Viagra funciona em todos os casos?

A Disfunção eréctil, também conhecida como impotência sexual, pode ser agravante, não só para o próprio homem afetado, mas também para a(o) parceira(o). A relação, pode ser significativamente afetada. Para muitos homens, o Viagra é, portanto, a esperança de recuperar a auto-confiança e manter o relacionamento e uma vida sexual satisfatória.

A Disfunção eréil pode ocorrer por diversas causas. Então uma pergunta bastante frequente é: O Viagra funciona em todos os casos ou o agente pode perder o seu efeito em alguns casos?

Viagra contra impotencia

Como a ereção funciona?

Para entendermos melhor a função e eficácia do medicamento em casos de impotência sexual, é importante entendermos como a ereção funciona.

Processo fisíco

O pênis, órgão sexual masculino, possui funções excretoras e reprodutoras. Para que cumpra suas funções reprodutoras, é preciso que ocorra o processo orgânico a que se chama ereção e que funciona da seguinte maneira: no interior do pênis existem duas câmaras em forma cilíndrica chamadas corpos cavernosos que se estendem por todo o órgão. Dentro destes corpos existem duas artérias (além de veias ao redor) que são capazes de aumentar ou diminuir o fluxo de sangue dentro do pênis – processo responsável pelo sucesso e manutenção da ereção.

Anatomia do penis erecto

Processo Psicológico

Pode-se dizer que a ereção tem início no cérebro quando algum estimulo sensorial – cheiro, imagem, som, ou tato – faz com que o sistema nervoso mande mensagens químicas para os vasos sanguíneos genitais. Quando isso acontece as artérias locais relaxam fazendo com que mais sangue entre no pênis, e as veias se fecham de modo que a pressão mantenha o sangue "preso" dentro dos corpos cavernosos sustentando assim a ereção – ou seja, a posição ereta do pênis que permite ao órgão a penetração vaginal.

A falta de ereção

A disfunção erétil - dificuldade ou incapacidade de ter ou manter uma ereção – acontece, portanto, quando algo interfere nos processos fisíco ou psicológico descrito acima impedindo que o sangue flua como deveria para dentro do órgão, ou que lá permaneça.

É natural que esta dificuldade ocorra algumas vezes ao longo da vida. Mas quando ela passa a ser algo frequente, é hora de procurar ajuda médica. Na grande maioria dos casos, o urologista ou médico especialista prescreve uma medicação vasodilatadora, como o Viagra.

Principais razões que impactam o efeito do Viagra

Ansiedade

Um dos principais problemas de origem não orgânica que interferem no desempenho sexual do homem é a ansiedade. Novamente, é normal que todas as pessoas experimentem ansiedade sexual, mas quando esta se torna recorrente e incontrolável, ela passa a ser um empecilho para a performance sexual transformando algo que deveria ser prazeroso em uma experiência ruim.

Algumas pessoas se sentem tão tomadas pela ansiedade que simplesmente passam a evitar fazer sexo. Medos acerca da própria aparência, performance, tamanho do pênis, medo de não corresponder às expectativas da/o parceira/o, e dificuldades no relacionamento estão entre os receios mais comuns a causar ansiedade de ordem sexual.

Quando atinge determinado nível, a ansiedade faz o corpo entrar em um modo que os psicólogos chamado de "luta ou fuga" em que vários tipos de hormônios são liberados causando um grande sentimento de desconforto e medo. Nos casos mais graves de ansiedade sexual, pode ser necessário fazer uso de medicamentos específicos para ansiedade além do fármaco para disfunção erétil.

Falta de Libido

Um engano bastante comum sobre medicamentos para disfunção erétil é pensar que estes aumentam a libido do usuário – isso não corresponde à verdade.

O Viagra não é um fármaco desenvolvido com a intenção de aumentar a libido – os casos de impotência sexual relacionados a falta de libido normalmente são tratados com outros tipos de fármacos e acompanhamento terapêutico e/ou psiquiátrico.

O Viagra não atua, portanto, sobre o desejo sexual dos usuários e qualquer relato neste sentido não passa de efeito placebo. Sua atuação é vaso dilatadora e facilitadora da ereção. O homem que estiver sob efeito da medicação, portanto, alcançará a ereção com muito mais facilidade diante de estímulos táteis e visuais.

Outras razões pelas quais o Viagra pode não funcionar

Existem muitas razões pelas quais remédios para disfunção erétil não levam ao resultado esperado, e na maioria dos casos, a ineficácia acontece pela falta de utilização correta.

O Viagra pode não alcançar o efeito desejado quando:

  • os usuários imaginam que o medicamento levará a uma ereção mesmo sem estímulo sexual;
  • quando homens que não estão no grupo de precauções do Viagra e mesmo assim tomam a menor dose recomendada (o ideal para a maioria dos homens é que se tome a dosagem intermediaria de 50 mg);




  • quando há a tentativa da relação sexual imediatamente depois de tomar o remédio (o Viagra leva até uma hora para fazer efeito na maioria dos homens);
  • quando há desistência da utilização da medicação (o medicamento pode não funcionar na primeira tentativa, por isso se recomenda que pelo menos 6 tentativas sejam feitas antes de assumir que o medicamento não funciona).

O que fazer se o medicamento não funcionar?

Se mesmo com todos esses cuidados a medicação não funcionar, então é possível que o seu caso de disfunção exija intervenções de outro tipo.

Medicamentos para disfunção erétil resolvem mais de 80% dos casos. Estima-se, por exemplo, que o Viagra seja a sexta medicação mais vendida no mundo nos últimos anos devido ao seu alto nível de eficácia, em casos de disfunção erétil de diversas origens e níveis. No entanto, quando não mostram resultado, os médicos costumam sugerir:

  • 1) fármacos injetáveis, que são recomendáveis para homens com problemas de ereção em decorrência de diabetes ou para aqueles que eles retiraram completamente a próstata em virtude de um câncer ou outro problema de saúde – ou seja, casos em que não há problemas com os mecanismos de ereção, e sim com os nervos do órgão que não conseguem transmitir com sucesso o estímulo. Neste caso a droga é injetada diretamente no genital;
  • 2) próteses penianas (também chamados implantes) que podem ser de dois tipos: infláveis, ou de silicone. Os dois tipos consistem na implantação de um mecanismo no interior do pênis que não prejudica nem a sensibilidade, e nem a capacidade de ejaculação. Os de silicone são preferíveis por serem mais baratos e duradouros, mas os infláveis são à ereção uma aparência mais "natural e orgânica".

Fonte:

  1. Sexual Conditions Health Center - URL: webmd.com
  2. Viagra Dosage - URL: Drugs.com 

Atualizado em 15 de Agosto de 2016.

Como funciona
Passo 1 - Escolha o medicamento
Passo 2 - Preencha o formulário médico
Passo 3 - O médico analisa os seus detalhes e emite a sua prescrição
Passo 4 - O seu medicamento será enviado no mesmo dia ou no dia seguinte
Entrega gratuita