Outros Tratamentos

Micose na virilha (Tinea cruris)

Tratamento eficaz para Micose na Virilha (Tinea cruris)

A micose é um tipo de infecção na pele provocada por fungos, sendo bastante comum na virilha, uma região que, normalmente, acumula maior calor e umidade. A infecção costuma ocorrer principalmente no sexo masculino, muito embora mulheres também possam desenvolver o problema.

A micose é mais frequente nas pessoas que praticam atividades esportivas, em razão do excesso de suor, além de obesos ou pessoas com diabetes descompensada, uma vez que, nessas situações, existem melhores condições de proliferação das bactérias nas dobras da pele.

O tipo mais comum de micose na virilha é aquela provocada pela Tinea cruris, cujas principais características são manchas avermelhadas, ou de cor castanha, com coceira e apresentando áreas de descamação ou bolhas em torno da lesão.

Saiba mais sobre Micose na virilha (Tinea cruris)
Nossos Serviços
Encontre o seu tratamento
Sobre nós
Nossos Serviços
Seleccione Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega expresso para qualquer área de residência
Sobre nós

euroClinix é uma empresa que presta cuidados de saúde a nível internacional, oferencendo serviços médicos diferenciados, em múltiplas línguas.

Nós já tratamos mais de

1363164 pacientes

Veja o que eles pensam sobre nós...

  • Diagnóstico especializado e prescrição médica onlineNão desperdice seu tempo na sala de espera do médico
  • Entrega Expressa Grátis com máxima discrição4-6 (UPS) ou 7-12 (Correios) dias úteis em todo Brasil
  • Medicamentos originais e serviço de confiançaApenas o médico tem acesso à sua informação
4.7 4,070Comentários

O que é Micose na Virilha (Tinea Cruris)?

A micose superficial de pele é denominada dermatofitose, ou tinea. Os principais fungos que provocam esse tipo de infecção são os dos gêneros Trichophyton, Microsporum e Epidermophyton.

o-que-e-tinea-cruris

As micoses podem atacar diversas regiões do corpo humano, como no couro cabeludo (a denominada tinea capitis), nos pés (tinea pedis), no rosto masculino (tinea barbae), nas unhas (tinea unguium) e no tronco e membros (tinea corporis).

Quando a infecção ataca a região genital e inguinal, na virilha, é denominada tinea cruris. Esse é um tipo de micose que está considerado entre os mais comuns, sendo suplantada apenas pela ocorrência da tinea pedis, a conhecida frieira, que ataca os dedos dos pés.

Quais são as causas da Micose na Virilha (Tinea Cruris)?

A maior parte dos casos de micose na virilha é provocada por um fungo, chamado Trichophyton rubrum. Trata-se de uma espécie de fungo que é bastante comum na pele humana, podendo existir sem provocar qualquer sintoma, uma vez que nosso sistema imunológico consegue mantê-lo sob controle, havendo apenas a necessidade de manter a pele limpa e seca.

No entanto, em períodos mais quentes, criam-se melhores condições para a proliferação dos fungos, principalmente em razão de determinadas áreas do corpo ficarem mais úmidas e quentes por mais tempo. Isso ocorre com maior frequência na virilha e na região genital, o que vai favorecer o desenvolvimento dos fungos, provocando a micose.

O fungo T. rubrum, que causa a micose na virilha, é o mesmo que provoca o pé-de-atleta, ou frieira. Em decorrência disso, na maior parte dos casos de micose na virilha, o portador também apresenta pé-de-atleta ao mesmo tempo.

A infecção pelo T. rubrum é contagiosa, podendo ser transmitida por objetos e roupas, como lençóis, toalhas ou qualquer tipo de objeto contaminado pelo fungo. No caso da micose na virilha, a transmissão pode ser feita por autocontaminação, através da micose dos pés.

O que ocorre é que o portador, depois de mexer nos pés, contamina suas próprias mãos com o fungo, levando-os à região genital. Além disso, a contaminação pode ser feita com relações sexuais com uma pessoa já contaminada.

No entanto, não basta apenas manter contato com o fungo para que a micose se desenvolva. Para que o fungo possa suplantar o sistema imunológico, é preciso que ele tenha um meio propício para sua multiplicação.

As condições mais adequadas para a proliferação dos fungos são o calor, a umidade e a ausência de luz e a virilha é uma região bastante propícia para a ocorrência das infecções pelo fungo, uma vez que, além de passar a maior parte do tempo coberta, também apresenta uma série de dobras e de pelos, que, normalmente, estão mais úmidas e quentes do que o restante do corpo.

A micose costuma ocorrer com maior frequência em épocas de calor, quando a pessoa usa roupas mais quentes ou apertadas, quando há excesso de suor ou quando se permanece por mais tempo com roupas de banho molhada.

Veja abaixo as principais causas da Tinea Cruris:

causas-da-tinea-cruris

Além disso, contribui para o desenvolvimento de micose a falta de higiene pessoal e a pouca frequência em trocar as roupas íntimas. Alguns outros fatores de risco ajudam a desenvolver a micose, como, por exemplo:

  • O sexo masculino, já que a tinea cruris é mais comum em homens do que em mulheres;
  • A hiperidrose;
  • A prática de esportes de contato, como lutas;
  • A obesidade;
  • O diabetes mellitus;
  • Pessoas contaminadas com HIV;
  • A psoríase;
  • Dermatites atópicas.

Além disso, a micose de pele costuma ocorrer com maior frequência em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, embora também possa ocorrer em pessoas sadias, em decorrência de fatores de higiene ou algum problema de pele.

Quais são os sintomas da Micose na Virilha (Tinea Cruris)?

Os principais sintomas da micose tinea cruris são a presença de coceira na região genital e vermelhidão no local, uma condição conhecida como rash. A área acometida pode apresentar ardência, fazendo com que se torne incômodo o uso de determinadas roupas íntimas.

A tinea cruris costuma aparecer através de pequenas placas avermelhadas, normalmente na área interna de uma ou de ambas as coxas, bem próximo à virilha, apresentando bordas bem demarcadas.

Quando é uma micose provocada pelo T. rubrum, a proliferação costuma se estender para baixo, atingindo as coxas e, inclusive, a região pubiana e os glúteos, expandindo-se em forma de círculos.

Pessoas que apresentam pé-de-atleta devem tomar mais cuidado com a higiene, para evitar a ocorrência da tinea cruris.

Para os homens, de uma forma geral, a bolsa escrotal e o pênis normalmente não são atacados, o que representa um detalhe importante, pois ajuda a fazer o diagnóstico, diferenciando entre a tinea cruris e infecção por candidíase. A candidíase, diferentemente da micose na virilha, também costuma atacar a bolsa escrotal.

Diagnóstico da Micose na Virilha (Tinea Cruris)

O diagnóstico da micose na virilha pode ser feito através de uma raspagem na lesão, com avaliação através do microscópio para analisar a presença de fungos. Como os fungos que provocam a candidíase e os que provocam a micose apresentam aspectos distintos, é fácil distinguir a origem do problema.

Diagnostico-da infeccao-fúngica

A micose na virilha é facilmente identificável pelo médico dermatologista. Para o portador, é importante procurar ajuda médica, permitindo que seja feito o diagnóstico correto para que o profissional de saúde possa indicar o melhor tratamento, eliminando as causas da infecção.

Para o paciente, também existem algumas formas de identificar a micose na virilha através de suas próprias características:

  • A região atacada apresenta irritação, havendo incômodo inclusive quando o portador coloca qualquer roupa;
  • A pele se apresenta avermelhada, com mais sangue concentrado sob a derme;
  • O local infectado começa a apresentar coceira com maior frequência, ficando um pouco mais umedecido em razão da cultura dos fungos;
  • Surgem manchas normalmente de formato circular, com tamanhos diferentes.

O portador não pode deixar de consultar um médico dermatologista, fazendo o tratamento adequado para eliminar a infecção e mantendo, depois do tratamento, os hábitos de higiene para que o problema não volte a acontecer.

Prevenção da Micose na Virilha (Tinea Cruris)

Um fato que o portador de micose (ou mesmo qualquer pessoa) precisa saber é o período de incubação das micoses. Esse tempo é variável, dependendo do tipo de fungo.

No caso da tinea capitis, no couro cabeludo, a incubação varia entre 10 a 14 dias, enquanto que a tinea corporis, na pele do corpo, e da tinea cruris, na virilha, esse período é de 4 a 10 dias.

A prevenção pode ser feita facilmente com bons hábitos de higiene, principalmente quando se sabe que uma pessoa pode transmitir a micose para outra, desde que tenha lesões no próprio corpo, além do fato de que os fungos persistem por um bom tempo em superfícies e materiais contaminados.

A transmissão normalmente acontece através do contato direto com uma pessoa ou um animal infectado. A tine cruris, micose da virilha, pode ser transmitida através do uso de toalhas ou mesmo em locais contaminados, como banheiros, bordas de piscina, o próprio piso ou artigos usados por uma pessoa infectada.

Dessa forma, uma pessoa com micose na virilha ou qualquer outro tipo de infecção de pele, não deve frequentar piscinas ou andar descalça em vestiários ou saunas até o fim do tratamento, evitando também compartilhar roupas e toalhas, ou chinelos.

Tratamento da Micose na Virilha (Tinea Cruris)

O tratamento da tinea cruris pode ser feito com pomadas antifúngicas, grande parte delas não tendo necessidade de prescrição médica.

O tratamento mais recomendado para a condição é o:

Terbinafina (Lamisil)
Terbinafina (Lamisil)
  • Medicamento original, testado em estudos clínicos
  • Ação antifúngica
  • Elimina a micose em poucos dias
Mais sobre Terbinafina (Lamisil)

Outros antifúngicos utilizados para combater a micose na virilha são os seguintes:

  • Itraconazole (Sporanox)
  • Naftifina
  • Cetoconazol
  • Miconazol
  • Tioconazol
  • Clotrimazol
  • Oxiconazol

Contudo, é importante procurar ajuda médica para o diagnóstico preciso sobre o fungo, uma vez que existem medicamentos que apresentam ação contra dermatóficos e cândidas, enquanto que os produtos à base de nistanina atendem o tratamento para candidíase, mas não servem para dermatofioses, não sendo, portanto, indicados para o tratamento da micose na virilha.

No tratamento, é preciso evitar o uso de pomadas que contenham corticoides em sua fórmula, como, por exemplo, betametasona ou triancinolona, uma vez que essas substâncias podem mascarar os sintomas, atrasando o tratamento.

Pacientes que apresentem o sistema imunológico deprimido, ou mesmo quando o tratamento com pomadas não apresente resultados, devem ter a prescrição de medicamentos orais.

Depois do tratamento, o paciente pode utilizar alguns métodos para evitar a recidiva, como aplicar diariamente talco na região genital, mantendo a área seca; evitar banhos quentes e roupas apertadas; para os homens, é aconselhável o uso de cuecas mais largas, preferencialmente boxers (a conhecida cueca samba-canção); para as mulheres, o uso de calcinha de algodão, evitando calças muito apertadas.

Depois do banho, a região genital deve ficar bem seca, recomendando-se ainda separar uma toalha especialmente para secar a região infectada, usando outra tolha para o restante do corpo, não usando a mesma roupa usada antes do banho.

Fontes:

Como Funciona
Escolha o Medicamento
Preencha o Formulário Médico
O médico emite a sua prescrição
Medicamento é enviado da farmácia
Entrega gratuita
Feedback

Seu feedback

Como você classificaria o nosso site?