Outros Tratamentos

Migraleve

Comprar Cetotifeno (Zaditen) online - Envio e validação de receita médica

  • Migraleve
  • Migraleve
Excelente   4.7 4,116 pacientes deram a sua opinião sobre o nosso serviço

O Migraleve é um medicamento indicado para tratamento de enxaqueca, servindo para a terapia profilática e sintomática das dores de cabeça, incluindo crises de cefaleia, vômitos e náuseas.

Na euroClinix, você pode comprar o medicamento Migraleve online. Basta preencher um questionário e enviar a receita médica emitida pelo seu profissional de saúde.

O medicamento Migraleve está sendo revisado pelo nosso médico parceiro e não podemos aceitar pedidos no momento. Para mais informações, entre em contato com a nossa equipe de atendimento ou deixe seu email para receber notificações quando o medicamento Migraleve estiver aprovado para venda.

Perguntas e respostas sobre como comprar Migraleve online

Como consigo comprar o medicamento de prescrição Migraleve na euroClinix?

O Migraleve é um medicamento de prescrição e só pode ser comprado online com receita médica. Se você quiser comprar Migraleve online a euroClinix, você tem que ter em mãos a receita prescrita pelo seu médico ou sua médica. O processo é bastante simples: basta preencher um rápido formulário com informações pessoais e informações do médico ou da médica que emitiu a prescrição e fazer o upload da prescrição no nosso checkout.

É seguro comprar Migraleve online na euroClinix?

A euroClinix está legalmente autorizada para a venda de medicamentos online pela entidade britânica (MHRA) e também pela Agência Europeia de Medicamentos (veja o final da página abaixo de "Somos Certificados por:"). Se você se deparar com alguma farmácia física ou online que não requisite a prescrição médica ou qualquer dado médico, que tem preços demasiado baixos, não tem atendimento português e não tem um registo de farmácia evidente, além de potencialmente pôr a sua vida em risco, você estará cooperarando com uma atividade criminosa com possíveis implicações legais. Escolha uma opção segura, escolha a euroClinix.

Posso comprar Migraleve sem receita médica?

Segundo determinação da Anvisa, não é possível comprar Migraleve sem receita médica. O Migraleve é considerado um medicamento de prescrição médica, ou seja, se quiser comprar, o seu estado de saúde terá de ser previamente verificado por um médico fisicamente. Qualquer farmácia física ou na internet que venda Migraleve sem receita não está agindo de acordo com a legislação.

Qual é o preço do Migraleve na euroClinix?

A euroClinix preza pelo seu serviço de excelência. O preço do medicamento Migraleve inclui todo esse serviço, nomeadamente, o medicamento Migraleve original e a entrega grátis em embalagem discreta. Além disso, temos uma equipe de atendimento ao paciente e equipe médica sempre ao dispor para qualquer tipo de esclarecimento.Você pode consultar os preços no início da página.

Ao usar o nosso serviço, você economizará tempo e não precisará visitar uma farmácia local.

Quais os métodos de pagamento disponíveis?

Comprando medicamentos online através da euroClinix, você pode fazer o pagamento da forma que escolher, seja através de cartões de débito ou de crédito (nacional ou internacional) ou por boleto bancário.Aceitamos pagamentos em parcelas de até 6x e também à vista.

Os meus dados estão seguros ao comprar Migraleve online?

A Privacidade dos nossos pacientes está sempre garantida. Quando você compra Migraleve na euroClinix, todos os seus dados estarão totalmente protegidos. Dados pessoais, informações gerais, dados do cartão de crédito e informações médicas, são protegidos pelo sistema de encriptação SSL. Nenhum dos seus dados é compartilhado com terceiros sem o seu consentimento prévio. Também garantimos uma privacidade no processo de envio com a embalagem discreta e também no caso de pagar por cartão, apenas aparecerá no seu extrato a sigla da nossa empresa "HHC" ou do intermediário "goInterpay".

O que é Migraleve?

O Migraleve é composto por codeína, paracetamol e buclizina, sendo indicado para o tratamento sintomático e profilático de enxaquecas, incluindo crises de dores de cabeça, vômitos e náuseas.

A codeína é uma substância que pode ser usada por praticamente todas as pessoas, incluindo crianças acima de 12 anos, oferecendo alívio em curto prazo para a dor moderada que não possa ser aliviada com outros analgésicos, como, por exemplo, ibuprofeno ou paracetamol isoladamente.

A codeína é classificada em um grupo de medicamentos denominado analgésicos opiáceos, que servem para alívio de diversos tipos de dor.

Composição do Migraleve

Cada comprimido de Migraleve apresenta os seguintes princípios ativos:

  • Fosfato de codeína, com 8 mg;
  • Paracetamol 96%, com 520 mg;
  • Cloridrato de buclizina, com 6,25 mg.

Em seu núcleo, cada comprimido contém os seguintes excipientes: laca de eritrosina (E127), sílica anidra coloidal, amido pré-gelatinizado, estereato de magnésio e ácido estereático.

No revestimento estão presentes as seguintes substâncias: hipromelose, dióxido de titânio (E171), macrogol 400, laca de eritrosina e óxido de alumínio.

Conheça estrutura química dos princípios ativos do Migraleve:

principios-ativos-migraleve

Quais as doses disponíveis para o Migraleve?

O Migraleve está disponível em comprimidos revestidos na dose de 500 mg + 8 mg + 6,25 mg (Paracetamol + Fosfato de codeína + Cloridrato de buclizina).

Cada embalagem do medicamento contém 12 comprimidos revestidos, em blister de PVC/folha de alumínio.

Como funciona o Migraleve?

O paracetamol, uma das substâncias ativas presentes no Migraleve, oferece ação analgésica e antipirética, além de apresentar algumas propriedades anti-inflamatórias. A substância inibe a síntese das prostaglandinas, principalmente no sistema nervoso central, não inibindo, no entanto, as reações inflamatórias crônicas.

A codeína é um analgésico opioide eficaz para o alívio de dor ligeira ou moderada, além de apresentar propriedades contra a tosse.

A buclizina é um derivado da piperazina, oferecendo ação antagonista nos receptores H1, tendo propriedades sedativas moderadas e propriedades anti-muscarínicas. A substância é utilizada principalmente por suas propriedades antieméticas.

A codeína é metabolizada pela enzima hepática CYP2D6 em morfina, que é o seu metabólito ativo. Caso um paciente tenha deficiência ou está completamente ausente dessa enzima, o efeito analgésico adequado não será conseguido.

As estimativas indicam que até 7% da população caucasiana pode ter essa deficiência. No entanto, se o paciente é um metabolizador extenso ou ultrarrápido, existe o risco aumentado de apresentar efeitos colaterais da toxicidade comum dos opioides, mesmo em doses prescritas normalmente.

Esses pacientes conseguem converter a codeína em morfina rapidamente, resultando em níveis séricos de morfina mais altos do que o esperado.

É importante saber que os sintomas gerais de toxicidade por opioides incluem confusão, sonolência, respiração superficial, pupilas diminuídas, vômitos, náuseas, constipação e falta de apetite. Em casos mais graves, o paciente pode apresentar sintomas de depressão circulatória e respiratória, podendo ser fatais.

Eficácia e segurança do Migraleve de acordo com estudos clínicos

Estudos clínicos com as substâncias presentes no Migraleve demonstraram as seguintes características:

O paracetamol é rapidamente absorvido no trato gastrointestinal superior, depois da administração oral, tendo como mais importante local de absorção o intestino delgado. As concentrações plasmáticas apresentam um máximo de 15 a 20 mcg/ml em 30 a 90 minutos após a administração oral de doses de 1 g da substância.

Sua rápida distribuição pelo organismo vai depender da forma farmacêutica, sendo metabolizado principalmente no fígado e excretado através da urina. A semivida de eliminação é de cerca de 2 horas, após ter atingido a concentração máxima.

A codeína, por sua vez, é absorvida pelo trato gastrointestinal, tendo o pico da concentração plasmática após 1 hora da ingestão, sendo metabolizada no fígado dimetilação, em morfina, norcodeína e outros metabólitos. A codeína e seus metabólitos são excretados quase que totalmente pelos rins, principalmente na forma de conjugados com o ácido glucorônico, não se ligando às proteínas plasmáticas. Sua semivida plasmática está situada entre 3 e 4 horas.

Finalmente, o cloridrato de buclizina é absorvido de forma mais lenta pelo trato gastrointestinal, com um tempo máximo de 3 horas e apresentando uma semivida plasmática de aproximadamente 15 horas.

A codeína demonstrou ser um analgésico fraco, de ação central, exercendo seu efeito através de receptores opioides, embora a substância tenha baixa afinidade para esses receptores, e seu efeito analgésico é em razão da sua conversão em morfina. A codeína, particularmente em combinação com outros analgésicos, como o paracetamol, demonstrou ser eficaz na dor nociceptiva aguda.

O paracetamol apresenta propriedades analgésicas, antipiréticas e anti-inflamatórias agudas leves. A substância inibe a síntese de prostaglandinas, especialmente no sistema nervoso central, não inibindo, no entanto, reações inflamatórias crônicas.

A combinação do paracetamol e da codeína demonstrou, nos estudos clínicos, ter efeitos analgésicos mais potentes. A buziclina é um derivado de piperazina com ações e usos de H1 antagonistas do receptor e tem propriedades sedativas para o sistema nervoso central, principalmente por suas propriedades antieméticas.

Como usar o Migraleve?

Para evitar complicações, o Migraleve deve ser usado da forma correta, seguindo as recomendações, devendo ser aplicado apenas para o fim a que se destina e na quantidade recomendada, durante o período de tempo prescrito pelo médico. Os comprimidos devem ser tomados com um copo de água.

O tratamento dos sintomas de enxaqueca, náuseas e vômitos deve ser feito com 2 comprimidos de Migraleve tomados imediatamente quando surgem as crises, ou antes do seu aparecimento, se for precedida de sintomas premonitórios. No caso de persistência dos sintomas, o paciente pode tomar 2 comprimidos de 4 em 4 horas até melhorar. A dose máxima diária é de 8 comprimidos.

Crianças com 10 a 14 anos devem tomar apenas a metade da dose indicada para adultos, não sendo o medicamento indicado para crianças menores de 10 anos.

No caso de o paciente ingerir mais de 10 comprimidos por dia, pode apresentar alguns sintomas de superdosagem, como, por exemplo, vômitos e náuseas. Nessa situação e para maior segurança, é importante procurar ajuda médica, mesmo que não tenham sido apresentados quaisquer sintomas.

Havendo caso de superdosagem, o paciente deve ser submetido a uma lavagem gástrica, devendo ser corrigido o desequilíbrio eletrolítico, sendo aconselhável iniciar uma diurese alcalina.

Os efeitos tóxicos da codeína podem ser combatidos com a naloxona.

Para evitar uma lesão hepática originada pelos efeitos de superdosagem do paracetamol, é necessário administrar-se o mais cedo possível e até 10 horas após a ingestão metionina via oral, ou acetilcisteína via intravenosa.

Quais são os efeitos colaterais do Migraleve?

Como qualquer outro medicamento, o Migraleve pode apresentar efeitos colaterais. Os efeitos podem surgir como tonturas, sonolência, obstipação e reações alérgicas, como, por exemplo, erupção cutânea, urticária ou prurido. Em caso de hipersensibilidade ao medicamento, o paciente deve suspender o seu uso e consultar o médico o mais rapidamente possível.

Se o paciente detectar efeitos colaterais não mencionados, deve procurar ajuda médica.

Os efeitos colaterais constatados com o uso de Migraleve, identificados durante os estudos clínicos, e a experiência pós-comercialização com as substâncias paracetamol, codeína, cloridrato de buclizina, ou as combinações de paracetamol e codeína, ou mesmo a combinação das três substâncias, estão classificados de acordo com a SOC (Classes de Sistemas Sistêmicos).

As frequências foram definidas de acordo com a seguinte convenção:

  • Muito frequentes, atingindo 1 em cada 10 pacientes;
  • Comuns, podendo atingir 1 em cada 100 pacientes;
  • Pouco frequentes, podendo se desenvolver em 1 para 1.000 pacientes;
  • Raros, atingindo 1 entre 10 mil pacientes;
  • Muito raros, acometendo menos de 1 em cada 10 mil pacientes.

Além disso, existe a frequência classificada como desconhecida, por não poder ser estimada a partir dos dados disponíveis. A lista e a frequência discriminadas a seguir levam em consideração a incidência em ensaios clínicos devidamente planejados ou estudos epidemiológicos, quando disponíveis e, quando não disponíveis, são classificados como desconhecido.

Confira a seguir os efeitos colaterais do Migraleve:

Efeitos Colaterais do Migraleve
Distúrbios do sangue e do sistema linfático:
  • Desconhecido: doença do sangue, incluindo trombocitopenia e agrunolocitose.
Distúrbios do sistema imunológico:
  • Muito raro: reação anafilática, incluindo erupção cutânea e hipersensibilidade.
Distúrbios psiquiátricos:
  • Incomum: humor eufórico;
  • Desconhecido: síndrome de abstinência de drogas e dependência de drogas.
Distúrbios do sistema nervoso:
  • Muito comum: dor de cabeça e sonolência;
  • Comum: tontura;
  • Desconhecido: habilidades psicomotoras prejudicadas.
Distúrbios visuais:
  • Desconhecido: visão turva.
Vasculopatias:
  • Muito comum: rubor cutâneo.
Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino:
  • Desconhecido: broncoespasmo, dispneia, viscosidade aumentada de secreção dos pulmões, depressão respiratória.
Distúrbios gastrointestinais:
  • Muito comum: náusea;
  • Comum: constipação, boca seca, vômito.
  • Desconhecido: dor abdominal, dispepsia, problemas gastrointestinais, pancreatite aguda em pacientes com histórico de colecistectomia.
Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino:
  • Desconhecido: broncoespasmo, dispneia, viscosidade aumentada de secreção dos pulmões, depressão respiratória.
Distúrbios hepatobiliares:
  • Desconhecido: lesão hepática.
Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
  • Comum: hiperidrose;
  • Incomum: erupção cutânea;
  • Desconhecido: angioedema, dermatite, prurido, urticária.
Distúrbios renais e urinários:
  • Desconhecido: disúria e nefropatia tóxica.

Quais são as precauções, interações e contraindicações do Migraleve?

O paciente não deve tomar Migraleve se souber que apresenta hipersensibilidade a qualquer dos princípios ativos ou componentes de sua formulação. A hipersensibilidade pode ser reconhecida quando surgem algum desses sinais: erupção cutânea, comichão, falta de ar, inchaço no rosto, obstipação. Nesses casos, é necessário suspender o uso do medicamento e consultar um médico.

O medicamento Migraleve também não deve ser usado por mulheres grávidas ou pessoas portadoras de glaucoma ou hipertrofia prostática.

O medicamento não deve ser usado por crianças com menos de 10 anos, exceto se houver controle médico.

Cuidados especiais para o uso de Migraleve:

  • Pacientes que sofrem de hipertensão;
  • Pacientes que apresentam problemas renais ou hepáticos;
  • Pacientes com glaucoma;
  • Pacientes com hipertrofia prostática.

A enxaqueca deve ser diagnosticada por um médico, que poderá prescrever o Migraleve para seu tratamento. A dose recomendada pelo médico não deve ser excedida, principalmente porque o Migraleve provoca sonolência.

Migraleve é um medicamento que não deve ser tomado continuamente por períodos mais prolongados sem prescrição médica.

O uso do medicamento deve ser feito juntamente com alimentos e bebidas, devendo evitar o uso de bebidas alcoólicas durante o período de tratamento.

Gravidez e lactação

Os estudos clínicos realizados com grávidas de algumas espécies de cobaias, com doses de buclizina superior em 120 vezes às doses diárias recomendadas para seres humanos, originaram efeitos colaterais, como anomalias nos fetos e morte materna.

Contudo, como outros medicamentos, o Migraleve pode ser indicado para mulheres grávidas ou lactantes, desde que em dosagens adequadas e com acompanhamento médico.

A codeína e seu metabólito ativo, a morfina, são excretadas no leite materno. Em mulheres com um metabolismo normal de codeína, a quantidade da substância excretada no leite é baixa. Algumas mulheres metabolizam a codeína de forma mais rápida, o que pode resultar em níveis séricos mais elevados do metabólito ativo, a morfina, no leite materno e, em consequência, pode provocar efeitos colaterais no lactente.

Mães que estão utilizando codeína devem ser informadas em relação à maneira como devem identificar os sinais e sintomas de toxicidade neonatal nos bebês, como, por exemplo, sonolência ou sedação, dificuldade no aleitamento, dificuldades respiratórias e uma tonalidade de pele mais clara.

As mães em fase de amamentação devem ser instruídas a procurar imediatamente o pediatra ou cuidados de emergência. Além disso, as mães que metabolizam a codeína de forma mais rápida também podem apresentar sintomas de superdosagem, como sonolência extrema, confusão mental ou respiração artificial.

Havendo necessidade de uso do medicamento, o médico deve monitorar a mãe e o lactente rigorosamente, notificando os pediatras sobre a utilização de codeína durante o aleitamento.

O risco de exposição do lactente à codeína e à morfina através do leite materno deve ser ponderado em relação aos benefícios da amamentação, seja para a mãe ou para o bebê. Para conseguir o efeito clínico desejado, deve ser prescrita a menor dose possível.

Em razão da possível ocorrência de tonturas e sonolência, o paciente em tratamento com Migraleve não deve conduzir veículos e não utilizar ferramentas ou operar máquinas.

Interação medicamentosa

O Migraleve potencializa os depressores do sistema nervoso central. Não se deve tomar o medicamento com outros que contenham paracetamol.

Além disso, o paciente deve informar o seu médico ao receber a prescrição para o Migraleve sobre qualquer outro medicamento que esteja utilizando, inclusive aqueles de venda livre.

Fontes:

Dados do Medicamento
Dados do Medicamento
Nome: Migraleve
Princípios ativos: Paracetamol + Fosfato de codeína + Cloridrato de buclizina
Fabricante: Janssen-Cilag
Descrição: O Migraleve é um medicamento usado na enxaqueca. Este medicamento é utilizado no tratamento profilático e sintomático de enxaquecas, incluindo as crises de dores de cabeça, náuseas e vómitos. A codeína pode ser utilizada em crianaças com mais de 12 anos de idade para o alívio a curto prazo da dor moderada que não seja aliviada por outros analgésicos tais como o paracetamol ou ibuprofeno isoladamente. Este medicamento contém codeína. A codeína pertence a um grupo de medicamentos chamados analgésicos opiáceos que atuam para aliviar a dor. Pode ser utilizada isoladamente ou em combinação com outros medicamentos para a dor, tal como o paracetamol.
Dispensa: Medicamento sujeito à receita médica
Administração: Uso Oral
Apresentação: comprimidos revestidos
Dose: 500mg + 8mg + 6.25mg (Paracetamol + Fosfato de codeína + Cloridrato de buclizina)
Aplicação: Uso Adulto e Pediátrico acima de 12 anos
Posologia: De acordo com orientação médica
Classe: Tratamento para enxaqueca
Com álcool: Não recomendado
Durante a amamentação: Não recomendado
Durante a gravidez: Não recomendado
Download da bula do medicamento Migraleve
Como Funciona
Escolha o Medicamento
Preencha o Formulário Médico
O médico emite a sua prescrição
Medicamento é enviado da farmácia
Entrega gratuita
Avaliação de Serviço
Rating
Excelente
5 4.7
4,116 pacientes deram a sua opinião sobre o nosso serviço
Avaliação de Produtos
Nossos pacientes adoram o nosso serviço
  • Atendimento ao paciente acessível para todos

    Serviço de atendimento ao paciente: Seg. - Sex. das 06:00h - 17:00h (Horário de Brasília)
  • Todos os serviços estão incluídos no preço

    Consulta médica online, prescrição e entrega + possibilidade de parcelamento
  • Entrega Expressa

    Entrega garantida de 4-6 dias (UPS) ou 7-12 dias (Correios)
Alternativas ao Migraleve
Feedback

Seu feedback

Como você classificaria o nosso site?