• Receita inclusa
  • Medicamentos Originais
  • Tudo incluído no preço
  • Entrega no dia seguinte inclusa
Início / Asma / Crises de Asma - Factores de risco e Prevenção

Quais são os fatores de risco para crises de asma?

A asma é uma doença muito comum, que afeta cerca de 10% dos Portugueses. Para muitos asmáticos, as crises são condições sérias que podem ter consequências graves e até fatais se não forem tratadas.

As crises de asma hospitalizam alguém a cada 8 minutos, mas algumas medidas simples podem reduzir o risco de levá-lo ao hospital com uma crise asmática potencialmente fatal. Continue lendo para saber mais sobre os quatro principais fatores desencadeadores de crises de asma e como evitá-los da melhor maneira.

Quais os sintomas de crise de asma?

As crises de asma são o resultado de um defeito imunológico do seu corpo. Os indivíduos asmáticos podem ter os sintomas desconfortáveis ​​de uma crise de asma, como respiração ofegante, tosse e falta de ar, dificuldade em dormir devido à sua asma (incluindo sintomas de tosse). Isso acontece porque o corpo percebe o irritante como uma ameaça e responde com inflamação das vias aéreas.*

*Uma reação muito semelhante ocorre para quem sofre de eczema. O corpo percebe um irritante como uma ameaça e responde com uma inflamação da pele. Curiosamente, muitas pessoas que sofrem de eczema têm um risco aumentado de asma.

O que provoca as crises de asma?

Independentemente da gravidade da sua asma, é necessário evitar ou reduzir a exposição aos possíveis gatilhos (por exemplo, poluição do ar, pólen, fatores ambientais, etc.). E, acima de tudo, lembre-se de sempre levar consigo seu inalador, quando indicado pelo seu médico.

1 - Alergias (asma alérgica)

Se você tem asma alérgica, suas vias respiratórias sensíveis e inflamadas estão prontas para reagir a qualquer "gatilho" de alérgenos. O pólen é uma dessas substâncias irritantes. Se tem uma alergia ao pólen, conhecida também como febre do feno, isso pode piorar os sintomas da asma alérgica.

Infelizmente, não é apenas o pólen que pode causar ataques graves de asma. Existem centenas de alérgenos em potencial que podem deixá-lo ofegante e à procura de um inalador.

Os alérgenos mais comuns incluem:

  • pólen
  • ácaros / baratas
  • esporos de fungos
  • pêlos de animais
  • alimentos diferentes

A exposição a qualquer um deles (se você for alérgico) pode convencer seu sistema imunológico de que ele está sob ataque.

Se você é asmático, é importante saber quais são suas alergias. Por exemplo, se você é alérgico ao pelo de algum animal de estimação específico, por mais triste que seja, você deve limitar o contato com aquele animal. Também é muito importante comunicar aos outros quais podem ser as suas alergias, especialmente se a sua asma for grave. Se eles próprios não sofrem de alergias, podem ter dificuldade em compreender.

2 - Infecções respiratórias

Todos nós ficamos doentes de vez em quando. É uma triste realidade viver e respirar o mesmo ar que os outros. No entanto, se você sofre de asma, uma simples infecção bacteriana, constipações e vírus pode ter repercussões mais sérias para você do que para outras pessoas. Se a infecção se espalhar para os pulmões, pode agravar sua asma, causando um ataque.

Diferentes infecções afetam diferentes áreas do seu sistema respiratório. A seguir estão as infecções (e vírus) comuns que afetam a garganta, as vias respiratórias e os pulmões:

  • influenza
  • pneumonia
  • bronquite
  • sinusite
  • COVID-19
  • rinovírus

Se você acha que contraiu uma infecção, consulte seu médico. Isso é especialmente importante se você tiver dificuldade para respirar e descobrir que os métodos normais para o controlo da asma não funcionam. Nesse caso, procure atendimento médico o mais rápido possível.

Felizmente, existem maneiras de limitar o risco de pegar uma doença que pode afetar sua respiração:

  • lave as mãos regularmente
  • evite o uso compartilhado de itens (especialmente talheres e xícaras) com pessoas que possam estar infectadas
  • receba a vacina contra a gripe quando oferecida
  • não partilhe seus inaladores com outras pessoas
  • mantenha-se saudável (incluindo dormir a quantidade certa)

O ar frio ou úmido também podem entrar em suas vias respiratórias e provocar espasmos, causando sintomas de asma, como tosse, respiração ofegante, falta de ar e aperto no peito. Esteja preparado para o frio!

3 - Obesidade

Embora no início seja difícil ver a ligação entre o excesso de peso e a asma, carregar o excesso de peso pode ter muitos efeitos invisíveis na sua saúde. Um estudo publicado no Jornal Brasileiro de Pneumologia, avaliou a relação directa entre obesidade e asma. A conclusão é que indivíduos obesos com asma parecem apresentar pior controlo da asma e menores valores de função pulmonar do que indivíduos não obesos.

A razão exata para a conexão entre as duas condições ainda não foi identificada, no entanto, os especialistas concluem que em indivíduos com asma, a obesidade condiciona alterações na mecânica e função respiratória, altera a resposta imunológica e tem implicações metabólicas.

Com tórax e abdômen maiores (o que é o caso se estiver acima do peso), o excesso de peso contrai seus pulmões. No caso de exposição a um irritante, isso exagerará os sintomas de asma e tornará a recuperação de um ataque mais difícil.

Além disso, ser obeso também pode aumentar a inflamação em seu corpo. Este é o resultado da criação de tecidos adiposos mais um mensageiro inflamatório (entre outras funções) chamado adipocinas. Como a asma é essencialmente uma inflamação das vias respiratórias, o aumento do volume delas é desvantajoso.

Infelizmente, por outro lado, a asma também pode contribuir para um maior risco de obesidade. A incapacidade de se exercitar adequadamente pode tornar a a redução de peso um desafio ainda maior do que o normal.

Outro fator que contribui para o aumento da obesidade em pessoas com asma é o uso de tratamentos / medicamentos anti-inflamatórios para asma (como corticosteróides inalados), que podem aumentar o apetite.

Pesquisas mostram que exercícios regulares e a redução de peso podem melhorar a função pulmonar de pessoas com asma. Se você achar que é incapaz de fazer muitos exercícios, concentre-se no controlo do seu peso por meio de dieta alimentar e se movimentar sempre que possível. Você pode falar com um nutricionista para obter mais conselhos sobre como comer de forma saudável, no entanto, ele provavelmente aconselhará porções menores e se concentrará no consumo de mais frutas, vegetais e grãos integrais.

4 - Fumar

Pode causar problemas cardiovasculares, como doenças cardíacas e hipertensão, bem como cancro em todo o corpo, da boca à bexiga e ao pâncreas. Mas, acima de tudo, fumar prejudica seu sistema respiratório. Os produtos químicos dos cigarros irritam e inflamam as vias respiratórias e os pulmões.

Em nações desenvolvidas, atrás da demência, doenças cardíacas e derrame (os dois últimos em muitos casos são causados ​​pelo fumo), condições respiratórias, como doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e câncer de pulmão, tomam o quarto, quinto e sexto lugares como as causas mais comuns de morte. O tabagismo é atribuído como a principal causa de tudo isso.

Você fuma?

Fumar é possivelmente a pior coisa que pode fazer se tiver asma ou outro problema respiratório. Quando a fumaça é inalada, seja de um cigarro ou de outra fonte, os gases nocivos causam irritação e inflamação. O resultado são vias aéreas mais estreitas que ficam cheias de muco - os próprios sintomas de uma crise de asma.

Existem tratamentos eficazes que apoiam a cessação do tabagismo e tornam mais fácil parar de fumar. A vareniclina, por exemplo, é um medicamento de prescrição que pode ajudar a reduzir o desejo por tabaco e para o controlo dos sintomas de abstinência da nicotina em pessoas com ou sem asma.

E quanto ao fumo passivo de cigarro?

Mesmo se você não fuma, estar perto da fumaça do cigarro de outras pessoas condiciona maior expressão da asma. Explique a qualquer pessoa que queira acender um cigarro perto de si que a fumaça do tabaco aumenta o risco de um ataque de asma. O fumo passivo contém mais de 7.000 substâncias nocivas. Por esse motivo, é importante educar a família e os amigos sobre como o fumo pode afetá-lo. Também deve evitar áreas para fumantes em restaurantes e zonas comuns. É uma realidade frustrante, mas que deve ficar mais fácil à medida que o mundo se torna cada vez mais livre de fumo.

O que fazer para aliviar a crise de asma?

Os inaladores de alívio de ação curta proporcionam alívio imediato dos sintomas e ataques de asma, relaxando as vias respiratórias muito rapidamente. Usar os medicamentos prescritos por um médico reduz drasticamente o risco de um ataque de asma. A gravidade da sua condição ditará qual medicação você precisará usar. Entenda a diferença entre inaladores para o controlo e alívio da crise de asma.

Se suspeita que pode ter asma, a primeira coisa que deve fazer é falar com o seu médico. Seu médico será capaz de determinar se tem ou não a doença e, se tiver, ele recomendará os medicamentos de que necessita para diminuir o risco de sintomas e crises de asma.

Não precisas tolerar os sintomas de asma que afetam seu sono ou sua vida diária. Se você tem respiração ofegante, tosse, falta de ar e / ou aperto no peito, o risco de ter uma crise de asma é maior, portanto, marque uma consulta com seu médico para falar sobre o seu tratamento.

Crise de asma tratamento

Se já lhe foi diagnosticado a asma e sabe de que inaladores ou outros medicamentos precisa, a euroClinix oferece um serviço de encomenda online fácil. Temos em estoque muitas marcas e medicamentos populares, como o salbutamol para crise asma; incluindo a marcaVentolin (Ventilan), Flixotaide, Bricanyl Turbohaler (sulfato de terbutalina), Atrovent (brometo de ipratrópio), Pulmicort Turbohaler (Budesonida) entre outros.

Texto Revisado médicamente por
Dr. Anand Abbot Escrito por nossa equipa editorial
Última atualização 31-08-2022
  • Seleccione
    Medicamento

  • Preencha
    o formulário

  • O médico emite
    a sua prescrição

  • Entrega
    em 24h